Empresas de moda da Espanha abrem indústrias para governo produzir máscaras

Agência - Efe

O objetivo é que as indústrias sejam usadas para produzir equipamentos cirúrgicos, que estão em falta no país

Operador transporta máscaras no Centro de Tecnologia Talavera de Roupas (CTC), na Espanha, que planeja fazer mais de um milhão de máscaras 

Operador transporta máscaras no Centro de Tecnologia Talavera de Roupas (CTC), na Espanha, que planeja fazer mais de um milhão de máscaras  Foto: Manu Reino/ Efe

Empresas de moda da Espanha colocaram à disposição do governo suas fábricas e oficinas para produzir máscaras ou outros materiais sanitários, seguindo a iniciativa do dono da Inditex, Amancio Ortega, que doou dez mil máscaras protetoras.

Designers que fazem parte da Associação de Criadores de Moda da Espanha (ACME) responderam massivamente à convocação realizada pelo Ministério da Indústria, colocando fábricas e oficinas em que produzem suas confecções a serviço da dura batalha contra o novo coronavírus.

Tomaram a iniciativa, entre outras, as empresas Andres Sarda, Reliquiae, Dolores Cortes e Juana Martin, e a oficina da Associação para a Prevenção, Reinserção e Atenção para a Mulher Prostituída (APRAMP), "O setor da moda é solidário e comprometido, capaz de unir esforços, apesar de um ser um dos setores mais castigados pelo novo coronavírus”, explicou para a Agência EFE Pepa Bueno, diretora executiva da ACME.

Também tem demonstrado solidariedade as empresas Windertex, especializada em comercializar vestuário profissional de alta qualidade, Duarte, SeñoritaLemoniez, Garcia Madrid, Miguel Marinero, Ion Fiz, Moises Nieto, Alma Aguilar, entre muitos outras.

O grupo Inditex, comandado por Amancio Ortega, prevê produzir 300 mil máscaras cirúrgicas até o fim desta semana, que se unirão as já dez mil máscaras doadas.

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Também foi colocado à disposição do governo a capacidade logística do grupo, de abastecimento e de gestão comercial, em especial a partir da China, para atender as necessidades urgentes, tanto de materiais sanitários quanto têxteis, que são necessários atualmente.

Pepa Bueno agradeceu à respostas dos designers espanhóis, que não exitaram em apoiar e oferecer ajuda ao governo. “Obrigado a todos os designers por sua solidariedade e disposição”, afirmou ela, “juntos, e apenas juntos, sairemos desta”.

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus