Duplas Dinâmicas além das passarelas

Helena Tarozzo - O Estado de S.Paulo

Em processo de profissionalização, estilistas autônomos e autorais contam com CEOs para desenvolver seus negócios

No mundo da moda, tudo parece funcionar lindamente nas passarelas, araras e vitrines. Mas, nos bastidores, a história é outra. Hoje, no Brasil, alguns dos estilistas mais bem-sucedidos se destacam, justamente, porque conseguiram arrumar a casa e se estruturar. Cris Barros, Vitorino Campos e Giuliana Romanno, por exemplo, são autônomos, não fazem parte de grandes conglomerados, e contam com braços direitos para cuidar de números, finanças e orçamentos. Veja como funcionam essas parcerias.

Irmã caçula de Cris Barros, Daniela Barros representa a parte prática da família.

Irmã caçula de Cris Barros, Daniela Barros representa a parte prática da família. Foto: Divulgação

Leia também:

Dani Barros, da Cris Barros

Irmã caçula da estilista, Daniela Barros representa a parte prática da família. Nos tempos de criança cada uma já dava sinais de como levaria sua carreira. Cris foi quem sempre explorou o lado criativo, enquanto Daniela sonhava ser uma empresária de sucesso. Formada em Economia, Daniela deixou o mercado financeiro para montar a sociedade com a irmã assim que se deu conta dos bons resultados da grife, na época com um ano e meio de existência. ”Quando ela veio trabalhar comigo a marca deslanchou, antes eu que tinha que cuidar de tudo”, lembra Cris.  Há 12 anos no mercado, hoje a grife atua em 85 multimarcas, possui seis lojas próprias e também está presente nos e-commerces. Suas clientes tem um tíquete médio de R$ 2 mil por compra, segundo Daniela, que é CEO da marca. “A Dani é praticamente onipresente, ela está a par de tudo.”

"O dia que precisar de uma diretora financeira, pode me chamar", disse Fabiana Delfim

"O dia que precisar de uma diretora financeira, pode me chamar", disse Fabiana Delfim Foto: Ricardo Toscani/Divulgação

Fabiana Delfim, da Giuliana Romanno

De forma inusitada, a antes cliente fiel da marca disse a Giuliana em tom de brincadeirinha:  “O dia que precisar de uma diretora financeira, pode me chamar”. Deu certo, e há 6 anos a economista e a estilista são sócias. "A Fabi é super prática e muito pé no chão, o que faz uma diferença enorme no balanço final", conta Giuliana. O estilo cool, que mistura alfaiataria e tecidos tecnológicos é marca registrada de Giuliana e caiu no gosto das paulistanas. Recentemente, a grife (atualmente com 8 anos) estreou com grande estilo no São Paulo Fashion Week, onde chamou a atenção da imprensa e de novos clientes de atacado - nessa temporada conseguiram entrar em mais 25 multimarcas . “Nossa previsão de crescimento é de 50% esse ano”, conta Fabiana com satisfação. 

Vitorino Campos conta com o apoio de Natalia Troccoli, sua amiga de infância

Vitorino Campos conta com o apoio de Natalia Troccoli, sua amiga de infância Foto: Divulgação

Vitorino Campos e Natalia Troccoli

Aclamado por suas peças de vanguarda, chiques e bem feitas, Vitorino Campos é um dos responsáveis por renovar o time de estilistas da São Paulo Fashion Week. E, para isso, ele conta com o apoio de Natalia Troccoli, sua amiga de infância. “A Natalia me livra de qualquer preocupação e essa segurança me deixa muito livre”, conta o baiano. Para os próximos planos da marca, a jovem de 25 anos (um a menos que ele) estuda a abertura da primeira loja própria em São Paulo e a expansão da marca em pontos de vendas no exterior - Barney’s, Le Bon Marché, Selfridge’s, são algumas que mostraram interesse. “O Vitorino é muito criativo, às vezes preciso freia-lo. Principalmente quando o assunto são tecidos importados e caríssimos”, conta ela, rindo.