Tops famosas e estilistas consagrados participam de desfile no Museu do Amanhã

Anna Rombino - Especial para O Estado de S. Paulo

SENAI Brasil Fashion apresentou criações de criadores iniciantes sob a supervisão de Alexandre Herchcovitch, Lenny Niemeyer e outros grandes nomes da moda

Street style carioca foi o ponto de partida de uma das coleções

Street style carioca foi o ponto de partida de uma das coleções Foto: Marcelo Soubhia/ Agencia Fotosite / Divulgação

Na noite de segunda, 27, fashionistas se reuniram no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro, para a quarta edição do SENAI Brasil Fashion, evento que celebra o trabalho de estilistas e modelistas estudantes da instituição. 

Mas, apesar de iniciantes, os criadores trabalharam com nomes de peso do universo da moda: os estilistas Alexandre Herchcovitch, Lenny Niemeyer, Lino Villaventura e Ronaldo Fraga serviram como consultores das microcoleções desfiladas. Na passarela entraram tops como Isabelli Fontana, Carol Trentini, Dany Braga e Valentina Sampaio, que desfilaram ao lado de jovens selecionadas em comunidades carentes de São Paulo e do Rio de Janeiro. 

Criações da dupla do Espírito Santo lembraram a tragédia de Mariana

Criações da dupla do Espírito Santo lembraram a tragédia de Mariana Foto: Marcelo Soubhia/ Agencia Fotosite / Divulgação

Até a Fundação Cacique Cobra Coral, conhecida por trabalharam com energias para evitar a chuva em eventos,o Rock in Rio, estava presente no local para garantir que tudo ocorresse bem. 

Os 24 estudantes, vindos de todo o Brasil e selecionados entre as unidades do SENAI e do SENAI CETIQT, trabalharam em duplas, formadas por um estilista e um modelista, para criar coleções com o tema central "Moda é Futuro. Futuro é Moda". O desafio era trazer peças com tecnologia e informação de moda. 

Renata Kuerten usou roupa feita a partir de uma impressora 3D

Renata Kuerten usou roupa feita a partir de uma impressora 3D Foto: Marcelo Soubhia/ Agencia Fotosite / Divulgação

A regionalidade foi o que mais chamou atenção durante a apresentação. Nilcéia Nascimento e Amanda de Almeida, de Colatina, Espírto Santo, decidiram falar sobre como a tragédia de Mariana, em Minas Gerais, afetou sua cidade, que também foi prejudicada no acidente. Para isso, elas usaram o pó da lama resultado do rompimento das barragens da Samarco, em 2015. 

Já a dupla Juliana Siqueira e Raíssa Campos, orientada por Lenny Niemeyer, trouxe uma coleção inspirada em temas exotéricos e no street style carioca, tudo ao som de uma batida de funk. 

Tecidos tecnológicos e o futuro da moda também foram abordados no desfile. Paloma Lima e Fernanda Marin, de Goiás, apresentaram o que elas chamaram de renda do futuro, em impressora 3D, sem utilização de costura - em peças com shape dos anos 1960. Já as paulistas Tarcila Silva e Joice Parra olharam para um futuro mais próximo, propondo peças sem gênero, que mudam de formato de acordo com a necessidade. 

Peças multiuso no desfile da dupla paulista

Peças multiuso no desfile da dupla paulista Foto: Marcelo Soubhia/ Agencia Fotosite / Divulgação