Conheça Natalia Vodianova, modelo e embaixadora da Copa do Mundo

Anna Rombino - Especial para O Estado de S. Paulo

Antes de ser uma das melhores tops do mundo, a Supernova teve uma infância pobre em Níjni Novgorod, na Russia

Usando look todo Louis Vuitton e ao lado do goleiro espanhol Iker Casillas, Natalia Vodianova apresentou a taça da Copa do Mundo

Usando look todo Louis Vuitton e ao lado do goleiro espanhol Iker Casillas, Natalia Vodianova apresentou a taça da Copa do Mundo Foto: AFP PHOTO / Mladen ANTONOV

Aos 36 anos, Natalia Vodianova foi eleita a embaixadora da Copa do Mundo de 2018, sendo responsável por apresentar a taça do mundial na cerimônia de abertura nesta quinta, 14. Em 2014, no Brasil, Gisele Bündchen teve esta honra. 

Ela foi escolhida para o cargo por ser uma das mais bem-sucedidas modelos de sua geração, além de ser ativista pela qualidade de vida infantil em seu país. Natalia nasceu em Níjni Novgorod, cidade localizada a 400 km de Moscou, e passou a infância trabalhando em uma banca de frutas para ajudar sua mãe. Na escola, sofria bullying por ser muito magra e mal vestida. 

Aos 17 anos, foi descoberta por um agente, que a levou para Paris, onde começou a carreira de modelo. O sucesso chegou em 2001, quando tinha 19 anos e estrelou uma campanha da Marc Jacobs grávida de seu primeiro filho, Lucas. De lá para cá, trabalhou com as principais grifes de moda como Givenchy, Versace e Calvin Klein, e ficou algumas vezes na lista das modelos mais bem pagas do mercado - na última delas, em 2016, ela estava em 11º lugar. Na indústria, ficou conhecida como Supernova, fenômeno astronômico caracterizado por sua explosão brilhante. 

Natalia também já trabalhou com os principais fotógrafos do mercado (como Annie Leibovitz e Steven Meisel) e estrelou a capa das mais importantes revistas de moda do mundo. Só da Vogue, foram mais de 70 - a última delas, inclusive, foi para a versão russa da publicação ao lado de jogadores de futebol como o alemão Julian Draxler e o brasileiro Daniel Alves, que não foi para a Copa do Mundo por conta de uma lesão. 

Mas os dias de correria do mundo da moda ficaram para trás. Hoje, ela se divide entre seus cinco filhos, o namorado (Antoine Arnault, filho do presidente do grupo LVMH) e a Naked Heart Foundation, instituição beneficente que fundou em 2004, após a crise dos reféns em Beslan, na Rússia. A fundação já construiu cerca de 175 parques e playgrounds em 114 cidades do País e, desde 2011, financia projetos para ajudar crianças com deficiências.