Como entrar no mercado de moda

Mariana Belley - O Estado de S.Paulo

O que você precisa saber para se sair bem no mundo fashion

O profissional do mercado de moda precisa ter um olhar investigativo

O profissional do mercado de moda precisa ter um olhar investigativo Foto: Ernesto Rodrigues

Você pode ter formação em moda, pós-graduação, MBA e diplomas em cursos específicos fora do Brasil. Mas nada disso garante que consiga um emprego na indústria fashion. É verdade que o mercado nacional está mais profissional do que há uma década, mas a oferta de empregos, principalmente os fixos e registrados, ainda é pequena. De acordo com o último Relatório Anual de Informações Sociais (RAIS/MTE), de 2011, o setor de Moda empregou 2,1 milhões de funcionários formais no Brasil (ou 4,6% do total de trabalhadores). 

Na prática, o número deveria ser maior, mas muitas empresas ainda terceirizam quase toda sua produção e há uma boa parcela de profissionais que trabalha na área como autônomo. Trata-se de uma equação complicada. Enquanto a oferta é pouca, a concorrência é acirrada. Se você está decidido a trabalhar no setor, precisa conhecer profundamente o que acontece na indústria, ter e manter bons contatos e perceber onde as suas habilidades se encaixam melhor. A seguir, as dicas de alguns profissionais para quem pretende entrar na moda nacional.

1- Seja criativo!

Para Miriam Levinbook, coordenadora do curso de Negócios da Moda da Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo, um dos maiores desafios dentro desse mercado é ser criativo e inovador. "A pessoa precisa desenvolver um olhar investigativo, uma capacidade de agir criticamente e estrategicamente diante do cenário fashion. Não adianta só estar apto a desenvolver habilidades técnicas, é importante ser capaz de refletir a moda em um contexto contemporâneo", explica.

2- Identifique tendências

Um exemplo de tendência comportamental de moda é o crescimento sustentável, não só como uma preocupação ambiental, mas também social. "Acredito que o caminho daqui para frente será o de criar um crescimento sustentável na indústria", acredita Miriam. Resumo da ópera fashion: identificar antes o rumo que a moda está tomando, com uma visão macro, é numa ótima maneira de sair em vantagem no mercado.

3- Defina quem você quer ser

Antes de trabalhar com moda, é importante definir qual papel você gostaria de desempenhar: stylist, buyer, produtor, designer, relações públicas, vendedor, empresário… "Qualquer que seja a área, é preciso ter foco. Esse é o primeiro passo para começar", diz Claudio Goldberg, professor de varejo da Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro. Lembrando que se você iniciar sua carreira numa empresa pequena, pode ter mais oportunidade de conhecer o mercado e as diversas funções de cada área. As grandes empresas costumam dividir mais os setores.

4- Comece vendendo

A consultora de moda Bia Paes de Barros acredita que para entender a moda é interessante trabalhar em algum momento com vendas. "É super importante conhecer o mercado e o dia a dia do negócio. Claro que a pessoa deve buscar todas as informações de moda e tendência, mas antes é preciso conhecer o público. Começar como vendedora é a melhor maneira de entender do funcionamento de uma marca no futuro. É uma porta de entrada fácil e valiosa."

5- Estude o mercado

Se você gosta do assunto, precisa se informar. Na verdade, precisa respirar moda (e também arte, fotografia, cultura, já que tudo, nessa área, é interligado). "'As tendências de moda são globais, então, pelo estudo você consegue conhecer com antecedência o que será a moda. Eu recomendo que a pessoa seja 'antenada'", diz Claudio. Isso significa que você tem que saber quem são os estilistas importantes, como é o trabalho deles, enfim, ter um interesse verdadeiro pelo assunto. A moda muda muito, quem quer trabalhar no setor, precisa estar sempre conectado.

6- Claro, o currículo importa

Quanto à faculdade, a consultora de moda Bia Paes de Barros acredita que fazer cursos em negócio de moda ou de administração são os ideais. Mas se você tiver a oportunidade de estudar fora, terá um diferencial no seu currículo. "Nos Estados Unidos, por exemplo, há cursos mais específicos do que no Brasil. A Fashion Institute of Technology, em Nova York, é uma boa faculdade para quem quer trabalhar com negócios de moda. Se você quiser design de moda, a Europa tem opções melhores: Saint Martins, em Londres, e o Instituto Marangoni, em Milão." 

7- Não saia por aí pedindo dinheiro

Estilista sim, devedora não. Se a sua ideia é abrir uma marca de moda, é necessário investir capital. A estilista Patricia Bonaldi, no entanto, alerta para o perigo de pedir empréstimos logo de cara. "É preciso ter muito cuidado porque existem muitos riscos." A estilista diz que o ideal para começar um negócio de moda é possuir uma reserva própria ou então contar com a ajuda de alguém que acredite na ideia. "Com a empresa mais madura, é possível se planejar e pensar em empréstimos bancários ou fundos de investimentos."

8- Faça amigos, não faça guerra

Na moda, até mais do que em outras carreiras, os contatos contam muito. Desde o início de sua carreira, você deve cultivar seus conhecidos em todas as áreas -  provavelmente você trabalhará com muitos deles no futuro. Recentemente, no site The Business of Fashion, o editor chefe Imran Amed escreveu: "Alguns dos meus melhores professores foram os amigos que fiz em toda a indústria. E à medida que partilhamos os mesmos interesses, aprendemos uns com os outros. Mais do que qualquer outra coisa, este tem sido um recurso importante em termos de aprendizado sobre como funciona a indústria e uma grande rede de apoio para mim ".