Com alfaiataria customizada e sob medida, Merino abre loja em SP

Sergio Amaral - Especial para O Estado de S. Paulo

Marca investe em criações e atendimento personalizado

Detalhe das criações da Merino, marca focada em criações de alfaiataria masculina customizáveis, sob medida e sob encomenda

Detalhe das criações da Merino, marca focada em criações de alfaiataria masculina customizáveis, sob medida e sob encomenda Foto: Leandro Vieira/Divulgação

Trabalhando com alfaiataria sob medida e customizável, a Merino é uma das mais jovens marcas dedicadas ao público masculino em São Paulo. Fundada no ano passado, abre na quinta, 15, sua primeira guide shop na cidade, facilitando a vida do cliente que prefere ir à loja a agendar atendimento com um consultor em casa ou no trabalho.

O novo espaço fica na rua Normandia, em Moema, e vai oferecer pronta entrega apenas dos calçados e gravatas, além de um mostruário das peças produzidas sob encomenda para o cliente. “É um ambiente masculino, para o homem se sentir à vontade”, conta Leandro Vieira, advogado e fundador a grife, que tem consultoria criativa de Alexandre Won, um dos mais prestigiados alfaiates paulistanos.

O empresário Leandro Vieira, advogado e fundador da marca Merino

O empresário Leandro Vieira, advogado e fundador da marca Merino Foto: Pedro Dimitrow/Divulgação

Além dos costumes (a partir de R$ 1.990), carro-chefe da Merino, com opções de tecidos, lapelas, tipos de bolsos, quantidade de botões, variações de barra etc., eles produzem camisas (a partir de R$ 390), calças de sarja, blazers e bermudas de linho e jeans. A seguir, Leandro Vieira conta mais da loja e do processo de produção de roupas feitas sob medida para o tamanho e as vontades de cada cliente.

Como foi pensado o projeto da loja?

É um ambiente masculino, muito clean e altamente sofisticado. Não tem muita frescura, é para o homem se sentir à vontade, tomar um café, uma cerveja, além de uísques, gim, água e chá.

A marca surgiu ano passado, o que está dando mais certo até aqui?

O carro-chefe é o costume de R$ 1.990, feito numa lã super 120 nacional, que tem um custo benefício muito bacana. Ele é a grande estrela da marca. Mas oferecemos costumes de até R$ 8.500, que são os feitos com tecidos italianos, como Loro Piana.

Quantas medidas, em média, são necessárias para fazer um costume de vocês?

Tiramos de 12 a 15 medidas tanto para as camisas quanto para os costumes.

E modelagens? São vários tipos?

A modelagem é uma só, desenhada pelo Alexandre Won, mas temos muitas variações. Você pode customizar o modelo trocando o tipo de lapela (em V, em bico, em xale), escolhendo um ou dois botões, dois ou três bolsos, com barra mais alta ou mais baixa, lisa ou italiana, pode escolher o forro, fazer o caseado dos botões com cores diferentes... Temos todas as variações possíveis dentro da alfaiataria. Até colocar o monograma com as iniciais, para quem gosta.

Quanto tempo leva esse processo?

Depende muito do cliente. Tem muita gente que vem fazer um terno azul. Se ele já vem decidido, ele só direciona qual azul e a costumização. Quem já vem resolvido, costuma levar cerca de 30, 40 minutos. A primeira prova [para eventuais ajustes] acontece cerca de 20 dias depois, e a entrega da peça finalizada em até 30 dias.

O mesmo tipo de serviço vocês oferecem para camisas, jeans, bermudas...

Fazemos as camisas com variações de colarinho (italiano, inglês), de punhos (normais, quadrados, duplos, com abotoaduras), além de bermudas de linho, de sarja, calças jeans, blazers...

O atendimento ao cliente em horário e local agendado continua?

Sim. Os consultores vão até o cliente no horário e local que ele achar melhor. Já atendemos até um em trânsito, no aeroporto. Na loja, a pessoa pode marcar hora ou passar quando quiser.

Merino. R. Normandia, 38, Moema, 3571-3535, agendamento@merinoalfaiataria.com.br.

A guide shop da Merino, na rua Normandia, em Moema, primeiro ponto de venda da marca especializada em alfaitaria masculina

A guide shop da Merino, na rua Normandia, em Moema, primeiro ponto de venda da marca especializada em alfaitaria masculina Foto: Leandro Vieira/Divulgação