Coco Chanel inspira figurino de 'Ligações Perigosas'

Anna Rombino - O Estado de S.Paulo

A estilista é a referência para os looks de Patricia Pillar na nova minissérie global. Com cortes retos, shapes soltos e cólares de pérolas, o estilo da década marca a liberdade feminina e é tendência ainda nos dias de hoje

Patricia Pillar e Selton Mello na nova minissérie Ligações Perigosas: figurinos inspirados no casal Coco Chanel e Arthur Capel

Patricia Pillar e Selton Mello na nova minissérie Ligações Perigosas: figurinos inspirados no casal Coco Chanel e Arthur Capel Foto: DIVULGAÇÃO

Em uma das primeiras cenas da minissérie “Ligações Perigosas”, da TV Globo, que estreou na última segunda, 4, Patrícia Pillar aparece estonteante de camisola preta com transparência e franjas e capa bordada, no melhor clima boudoir dos anos 1920. A década é o pano de fundo para a versão brasileira da trama homônima do francês Choderlos de Laclos, escrita em 1782. Escrita por Manuela Dias, a história se passa no Brasil, mais especificamente em uma cidade fictícima chamada Vila Nova.  “A década de 1920, com seus ‘anos loucos’, é um grito de liberdade”, diz a autora sobre a escolha da época.

Por isso, o figurino dos personagens da série merece destaque. Saem os espartilhos e saias armadas, entram os vestidos lânguidos de cintura baixa, os acessórios de cabeça, as peles e as pérolas. Assinadas pela tarimbada figurinista Marília Carneiro, responsável pelos looks famosos das novelas “Dancin’ Days” e “O Clone”, as roupas da nova série trazem diversas  refêrencias históricas.

DIVULGAÇÃO
Ver Galeria 14

14 imagens

O extravagante guarda­-roupa da protagonista Isabel, vivida por Patrícia Pillar, por exemplo, foi criado à imagem e semelhança do da estilista Coco Chanel, estilista revolucionária do período, que introduziu as calças compridas ao closet feminino. Amante e cúmplice de Isabel, o bon vivant Augusto, papel de Selton Mello, teve seu visual inspirado no: Arthur "Boy" Capel, um dos companheiros de Chanel - playboy inglês que ajudou Chanel a abrir sua primeira loja, uma chapelaria no balneário francês de Deauville, em 1913.

Ele aposta em peças elegantes como ternos e sobretudos, além da peça característica de Boy, um lenço branco amarrado no pescoço. Já os trajes de Mariana, personagem de Marjorie Estiano, e Cecilia, interpretada por Alice Wegman, trazem o romantismo do período, com vestidos soltos, detalhes artesanais e joias delicadas.