Chloé reinterpreta cultura hippie e anos 70 para os dias de hoje

Redação - O Estado de S.Paulo

Rendas, leveza e artesanato dão o tom de uma coleção despojada e chique

Suavidade e silhuetas dos anos 70: o verão hippie modernista da Chloé, em Paris

Suavidade e silhuetas dos anos 70: o verão hippie modernista da Chloé, em Paris Foto: Alain JOCARD/AFP

Numa atmosfera boêmia, hippie e modernista, a estilista Natacha Ramsay-Levi apresenta o verão 2019 da Chloé. “Pensei: ‘Vamos encarar o interior boêmio da Chloé’”, explica ao jornal WWD. “É pegar esses instintos de uma vida simples, das coisas prosaicas e tentar fazê-los fashion.”

Tendo esse universo como ponto de partida, ela propõe um guarda roupa ao mesmo tempo despojado e chique, construído em uma cartela de tons suaves, reinterpretando silhuetas dos anos 70.

Uma mistura de florais e estampas de lenço permeia o verão 2019 da marca

Uma mistura de florais e estampas de lenço permeia o verão 2019 da marca Foto: Alain JOCARD/AFP

Há vestidos nude cortados em viés e usados com cintos de cordinha marcando a cintura, lindas peças feitas a partir de tapeçarias com franjas curtinhas nas extremidades, muitos florais, paisleys e estampas de lenços, que vão pontuando os looks até tomarem conta de alguns deles por inteiro.

Um quê artesanal, especialmente nos acessórios reforça o mood hippie-chique. Ainda entre os destaques, uma série de peças em couro perfurado, as peças cravejadas com pedrarias, as delicadas rendas e o bloco de looks drapeados ao final.

A entrada final das modelos, com peças em seda estampada e tapeçaria

A entrada final das modelos, com peças em seda estampada e tapeçaria Foto: Alain JOCARD/AFP