Casamento de Tory Burch e Pierre-Yves Roussel cria novo império da moda

Vanessa Friedman - O Estado de S.Paulo

Como a união da estilista americana com o chairman do grupo LVMH promete reinventar o mercado e movimentar o mundo fashion

 

Foto: DIVULGAÇÃO

Logo após o ano novo, Tory Burch, criadora e diretora executiva da marca americana que leva seu nome (avaliada no início do ano passado em US$ 3,25 bilhões), e Pierre-Yves Roussel, chairman e diretor executivo do conglomerado de luxo LVMH, que inclui marcas como Givenchy, Céline, Loewe, Kenzo e Marc Jacobs, anunciaram pelo Instagram que irão se casar. Trata-se da união de duas pessoas talentosas da moda e de dois importantes impérios do setor - isso porque Roussel não faz parte da família Arnault, que controla o grupo LVMH Moët Henessy Louis Vuitton, embora seja um executivo poderoso.

E os dois estão criando um precedente. Apesar de a história da moda estar repleta de casais poderosos trabalhando juntos (Patrizio Bertelli e Miuccia Prada, da Prada, Frida Giannini e Patrizio di Marco, na Gucci, Valentino Garavani e Giancarlo Giammetti, da Valentino, e Domenico Dolce e Stefano Gabbana, da marca Dolce & Gabbana), essa é a primeira vez que pessoas do topo de dois diferentes impérios se unem.

Uma união similar à de Mary Matalin e James Carville - um estrategista republicano e outra democrata, rivais nas campanhas de George H. W. Bush e Bill Clinton - mas que se apaixonaram e se casaram depois, com muito mais brilho. O casal, que se encontrou quando Roussel explorava o mercado americano para a LVMH (incluindo a vaga ideia de a LVMH comprar a Tory Burch) está junto desde 2014.

Ambos já foram casados outras vezes. Tory Burch foi mulher de William Macklowe e depois de Chris Burch, com quem teve três filhos, fundou sua empresa de roupas e de quem se divorciou, travando em seguida uma batalha profissional acrimoniosa e relativamente pública com o ex-marido, solucionada no final de 2012 quando ele vendeu metade das suas ações na Tory Burch.

Embora tenham começado o relacionamento sem alarde, nos últimos meses os dois foram vistos em público com mais frequência de mãos dadas. Foram vistos formando um casal, por exemplo, na inauguração da loja de Tory em Paris, em julho. Em setembro, também foram flagrados ao lado de outros executivos da LVMH no desfile da Givency em Nova York. E dois meses depois, papeando com Huma Abedin e Anthony Weiner no jantar da CFDA/Vogue Fashion Fund, na mesa de Anna Wintour.

Agora a notícia do casamento deixou todo mundo em polvorosa. Anna Wintour, editora da Vogue e diretora artística da Condé Nast, disse em um e-mail que “no caso de alguns casais, você se pergunta porque estão juntos. Quanto a Tory e Pierre-Yves, você nunca imaginaria os dois separados. São a exata definição da ‘combinação perfeita’; ambos são brilhantes, sedutores, ambos têm três filhos e compartilham os mesmos interesses e objetivos”.

No Instagram de Tory havia mais de 630 mensagens até a manhã de quarta-feira passada, inclusive algumas perguntas como: “quais são os detalhes do anel?". A foto publicada com o anúncio não revelou muito, embora a Harper’s Bazaar tenha destacado que recentemente Tory apareceu usando um anel com um grande brilhante no anular esquerdo.

E quem confeccionará o vestido? Tory pode desenhar o seu próprio, usar um da marca LVMH, se inspirar em Frida Giannini, ex-diretora criativa da Gucci, ou recorrer a Valentino. A resposta pode abrir um novo campo profissional para ela: Tory Wedding! Difícil acreditar que ainda não existe. Mas mais impactantes podem ser as implicações da nova associação LVMH/TB.

Não há planos para Roussel ou Tory se mudarem, embora ele esteja dividindo seu tempo entre Nova York e Paris. Mas a atividade da LVMH tem sido vez mais intensa nos EUA pelo menos desde o ano passado, quando o grupo decidiu pela fusão da Marc by Marc na principal linha Marc Jacobs e também por concentrar os trabalhos na preparação da marca para uma IPO, até a nomeação dos estilistas Maxwell Osborne e Dao-Yi Chow da Public School a DKNY (que se seguiu às indicações de Humberto Leon e Carol Lin da Opening Ceremony na Kenzo há alguns anos).

Roussel também manifesta franco interesse no mercado contemporâneo dos EUA e tem sido visto em muitos desfiles da semana de moda de Nova York. Pode aguardar mais de suas aparições (ou não) nos diferentes desfiles de novas coleções femininas que começarão no próximo mês.

Talvez sejam coincidências, mas é difícil ignorar o que se passa à sua volta. Ou talvez seja a influência de uma pessoa que você admira enormemente: no espaço contemporâneo ou no do luxo cada vez mais sinergéticos.