Britânico Daniel Lee assume a direção artística da Bottega Veneta

Redação - AFP

O estilista trabalhava na grife francesa Céline

Modelo apresenta uma criação da coleção de inverno 2018 da Bottega Veneta na Semana de Moda de Nova York

Modelo apresenta uma criação da coleção de inverno 2018 da Bottega Veneta na Semana de Moda de Nova York Foto: REUTERS/Andrew Kelly/File Photo

A marca italiana Bottega Veneta,que faz parte do grupo Kering, nomeou o jovem britânico Daniel Lee como seu novo diretor artístico, substituindo Tomas Maier, segundo comunicado divulgado nesta sexta, 15.

"A singularidade de sua visão, inspirada num universo criativo muito pessoal, me convenceu que ele era o melhor para iniciar este novo capítulo na história da grife", declara François-Henri Pinault, presidente do Kering. 

Bottega Veneta anunciou na quarta, 13, a saída de Maier depois de 17 anos de trabalho. Lee, de 32 anos, vem da Céline, marca da qual era diretor de desenhos. Diplomado pela faculdade Central Saint Martins, de Londres, trabalhou para a Maison Margiela, Balenciaga e Donna Karan. 

Entre outras qualidade, Pinault destacou o seu "rigor" e sua "paixão pelos materiais e sua energia". Lee se comprometeu a preservar os códigos tradicionais da casa, mas trazendo sua "visão moderna". 

A Bottega Veneta finalizou o ano de 2016 com uma caída de 9,4% nas vendas, perdendo o posto de segundo lugar da Kering, atrás da Gucci, para a Saint Laurent. Seu plano de ação a permitiu registrar um crescimento de 2,4% no volume de negócios em 2017.