Brasileiro cria plataforma colaborativa de moda e desfila coleção em Lisboa 

Gabriela Marçal - O Estado de S.Paulo

Alfredo Orobio idealizou o coletivo AWAYTOMARS e apresentou na semana de moda lusitana peças que foram desenhadas em parceria com 400 pessoas

O brasileiro Alfredo Orobio apresentou coleção desenhada em parceria com 400 pessoas

O brasileiro Alfredo Orobio apresentou coleção desenhada em parceria com 400 pessoas Foto: Rui Vasco/ Moda Lisboa

Uma coleção bastante coesa e moderna que propõe um inverno leve e minimalista, mas pontuado por cores cítricas e figuras geométricas, se destacou entre as 30 apresentações da semana de moda de Lisboa, que ocorreu entre 11 e 13 de março. Mérito não apenas de um estilista, mas de vários: as peças apresentadas pela marca AWAYTOMARS foram criadas por 400 pessoas de 67 países. O responsável por tornar esse feito vanguardista possível é o brasileiro Alfredo Orobio, economista de 28 anos que criou uma plataforma online colaborativa para a qual os participantes podiam mandar croquis e referências. Ele selecionou e organizou as ideias que melhor representavam a estética da grife e definiu o ponto de partida da coleção.

Para Orobio, esse pode ser um caminho alternativo para escapar da crise criativa que a pressão do mercado está impondo sobre os estilistas. O economista acredita que o potencial criativo do coletivo dã fôlego para que a indústria da moda possa se manter inovadora para atender aos anseios dos consumidores constantemente conectados.

 

As peças, que são unissex, são produzidas a partir de recursos também de um sistema de financiamento coletivo e vendidas no ecommerce do projeto. A etiqueta de cada roupa traz a marca ATM e em seguida o nome do “estilista líder”, ou seja, quem sugeriu o desenho original do item. Cada colaborador é remunerado em 20% pela venda da peça que traz a sua assinatura. As pessoas que deram sugestões para aperfeiçoar a roupa recebem pontos que podem ser trocados por dinheiro ou produtos.  

“O principal objetivo da plataforma é trazer pessoas com ideias para uma indústria que está morrendo por falta justamente disso", diz Orobio. "Apenas um criador, por mais excepcional que seja, não tem capacidade para atender a demanda do mercado. Eu consigo trazer arquitetos, engenheiros, economistas, cozinheiros para a criação. Todo mundo veste roupas, então por que as ideias deles não seriam boas?"

A ATM foi criada em 2014 e desde então integra o calendário oficial da semana de moda lusitana. Seis vezes ao ano a plataforma abre espaço para os usuários postarem suas ideias, no entanto nem todas as peças criadas e vendidas no site são apresentadas nas duas edições anuais da ModaLisboa. O próximo passo da marca é desfilar uma coleção na Pitti Uomo, a mais importante feira de moda masculina, em Florença, na Itália.