Brasileira Camila Coelho assina linha de batons para a Lancôme

Redação - O Estado de S.Paulo

YouTuber de sucesso, ela é a primeira influenciadora a lançar produtos de maquiagem cocriados com a marca francesa

A brasileira Camila Coelho, primeira influencer a assinar uma linha de produtos de maquiagem com a Lancôme

A brasileira Camila Coelho, primeira influencer a assinar uma linha de produtos de maquiagem com a Lancôme Foto: Lancôme/Divulgação

Com 7.3 milhões de seguidores no Instagram e YouTuber de sucesso, a brasileira Camila Coelho é a primeira influencer do mundo a assinar uma linha de produtos de maquiagem para a Lancôme. Intitulada L’Absolu Rouge ("o vermelho absoluto"), conta com dez variedade de batons. Com o topo do bastão em forma de boca, a cartela de cores da linha abrange nudes, pinks e vermelhos em versões matte e cremosas. Eles custarão em torno de 32 dólares (aproximadamente R$ 128) e serão lançados em setembro nas lojas físicas e online da rede Sephora dos Estados Unidos e no lancome-usa.com. Não há previsão para chegada dos produtos em outros países, incluindo o Brasil.

A ideia do projeto surgiu quase aleatoriamente durante uma viagem, quando uma pessoa da equipe da Lancôme perguntou a Camila que tipo de produto ela lançaria com uma marca. “Eu disse que faria batons porque são meus produtos favoritos”, conta ao WWD. Ela ficou especialmente empolgada com o desenvolvimento da sua linha. “Ver os laboratórios e tudo que acontece ali, não que eu não imaginasse a grandeza e todos os detalhes, mas fiquei mais apaixonada pelo processo quando eu pude vivê-lo”, declara.

Os nomes dos produtos refletem as experiências globais de Camila, que se mudou para os EUA aos 14 anos, trabalhou num corner de maquiagem da Dior numa loja da Macy’s e mantém dois canais diferentes no YouTube, um em português e outro em inglês, e hoije viaja o mundo a trabalho. Entre os produtos há o batom Copacabana, o Ipanema e o Carioca. “Também usei Parisian Nude porque amo Paris e acho nude muito chique e muito Paris, mas a maior parte deles foi inspirada no Brasil”, afirma.