Bem-estar e proteção

Sueli Pereira* - Especial para O Estado de S. Paulo

Com o verão, a preocupação com o corpo e com a saúde aumenta. Tecidos que vão além da estética são mais do que bem-vindos

A colunista Sueli Pereira.

A colunista Sueli Pereira. Foto: Sergio Castro/Sueli Pereira

Da mesma forma que a tecnologia nos oferece gadgets que ajudam a manter a forma e a monitorar o corpo, as tecelagens também estão na corrida com objetivo de oferecer além da moda e da proteção básica. Meu amigo eterno denim, não à toa, não vai perder essa corrida para se manter eternamente jovem, e tem contribuído muito para o bem-estar de quem possa interessar.

A tecnologia vai desde acabamentos nano e de equilíbrio, transferência de calor, até a antibacteria e anticelulite. Além disso, há combinações de fibras que buscam ampliar a performance e qualidade de vida com manutenção do calor e detox, que ajudam a eliminar toxinas e elevar o nível de energia. A ordem para tudo e todos é performar!.

A última e mais útil novidade do material é o anti-vetor (ou seja, combate qualquer tipo de inseto). O tecido recebe uma quantidade generosa de produto à base da permetrina, a mesma substância do Exposed, o tão procurado repelente pelas grávidas e crianças no verão passado, um dos poucos garantidos contra o aedes-aegypti.

Imagina uma combinação de repelente com o jeans... Não precisa imaginar, ele já existe. O denim Repeller tem opções em jeans e sarja para calças e jaquetas e uma versão mais leve para camisaria. Com a vantagem de não precisar se preocupar em reaplicar o produto, pelo menos nas áreas onde o tecido cobre. O acabamento resiste a quase 50 lavagens caseiras. A longevidade é tanta que, quem sabe até o seu jeans acabar, a ciência já encontrou uma solução para minimizar a proliferação do inseto.

Algumas marcas já disponibilizaram o jeans repelente: a Mega Dose, voltada para grávidas, a Ricchieri e a Renner, que deve trazer o produto para o mercado infantil.

Pois é, vestir deixou há séculos de ser um simples ato de proteção para ser um ato estético e de embelezamento, mas como diz Yohji Yamamoto: “Olhar para trás em direção ao futuro”. Estamos sempre transitando e revendo nossos desejos e necessidades, e o têxtil e a moda estão atentos e percebem que estes tempos demandam proteção.

*Sueli Pereira tem mais de 20 anos de experiência no setor têxtil e atualmente é gerente de comunicação e moda na Santista Jeanswear.