Balenciaga processa Nicolas Ghesquière em 9,5 milhões de dólares

Helena Tarozzo - O Estado de S.Paulo

Grife francesa e estilista vão à corte para novo julgamento por quebra de contrato

Grife francesa e estilista vão à corte para novo julgamento por quebra de contrato

Grife francesa e estilista vão à corte para novo julgamento por quebra de contrato Foto: Divulgação

Em julho de 2013, Nicolas Ghesquière disse à revista System Magazine  que o tempo em que esteve à frente da grife francesa Balenciaga foram prejudiciais à sua saúde e um dos motivos para sua saída da maison. "Eu estava sendo sugado, eles queriam roubar a minha identidade e fazer coisas cada vez mais sem personalidade", disse ele à revista em uma das poucas entrevistas que deu após sua saída  e antes de ingressar na Louis Vuitton, onde é atual diretor criativo. Isso gerou uma polêmica e a Balenciaga recorreu com um processo de quebra de contrato de recisão do estilista, que estaria proibido de falar sobre a marca que dirigiu durante 15 anos.

Na última quarta-feira, segundo o site The Fashion Law, os representantes da Balenciaga, hoje com direção criativa nas mãos de Alexander Wang, e do estilista estiveram na corte francesa para o julgamento do processo de 9,5 milhões de dólares em cima de Ghesquière. 

O caso segue na corte desde julho de 2013 e tem como data estipulada para o final do julgamento o dia 27 de agosto. Chamariz para a condição dos estilistas, o processo atenta para um dos grandes problemas da moda atual: os designers estão sobrecarregados. Para conseguir acompanhar o ritmo das vendas, a quantidade de desfiles e de coleções (que chegam a ser 8 por ano), além das criações de acessórios, das parcerias, campanhas e das linhas masculinas. 

"Essa é a discussão antiga e a parte difícil do relacionamento entre criadores e grifes", disse o advogado de Ghesquière, Michel Laval, na corte parisiense. "O estilista lamenta que é a lógica do mercado que prevalece. Mas quem vai dizer o contrário?."