As supermodelos das redes sociais

Giovana Romani e Renata Brosina - O Estado de S.Paulo

Gigi Hadid, Kendall Jenner, Karlie Kloss e Cara Delevingne. Mais do que um rostinho bonito, as top models da nova geração têm seguidores no mundo todo (inclusive no Brasil) e faturam alto graças ao lifestyle que vendem em seus perfis no Instagram

Gigi Hadid: em passagem-relâmpago pelo Brasil, ela deu mais de uma dezena de entrevistas e ganhou festa no novo Eataly

Gigi Hadid: em passagem-relâmpago pelo Brasil, ela deu mais de uma dezena de entrevistas e ganhou festa no novo Eataly Foto: Lu Prezia/divulgação

Você pode até nunca ter ouvido falar de Gigi Hadid, mas a moça de 20 anos, 1,78 m de altura e carinha de menina é superpoderosa. Só no Instagram ela tem 3,9 milhões de seguidores, que curtem e comentam suas selfies, seus looks e suas viagens mundo afora - muitas delas em companhia das amigas e colegas de profissão, Karlie Kloss e Kendall Jenner (também conhecida como a filha de Caitlyn Jenner e a irmã mais nova de Kim Kardashian). Ao lado da top rebelde Cara Delevingne, Gigi, Kendall e Karlie são a cara - e o corpo - da nova geração de supermodelos que lançam mão das redes sociais para mostrar personalidade e atitude. “É uma ferramenta que uso para ser mais que um rosto em um pedaço de papel”, disse Gigi Hadid, em entrevista ao Estado na última terça, 9, quando esteve em São Paulo para lançar a campanha de verão da grife Rosa Chá. “As modelos hoje têm mais espaço. Posso me tornar a preferida de alguém por ter senso de humor ou por gostar de uma comida ou um tipo de roupa, pois há identificação.” 

Kendall Jenner: a top de 19 anos é filha de Caitlyn Jenner e irmã de Kim Kardashian

Kendall Jenner: a top de 19 anos é filha de Caitlyn Jenner e irmã de Kim Kardashian Foto: Divulgação

Cientes deste novo momento da moda, as grifes estão investindo alto para contarem com a força das influenciadoras digitais. "Contratar uma personalidade que tenha uma projeção grande em redes sociais pode ser mais interessante para a marca do que o próprio resultado da campanha, pois é mais fácil que as pessoas tenham conhecimento do conteúdo por lá do que pelos veículos tradicionais", afirma Jorge Grimberg, especialista em tendências e colunista do Estadão. O Grupo Restoque, dono das marcas Rosa Chá, Le Lis Blanc, John John e Bo.Bô, está entre as empresas que apostam no poder das modelos-celebridade para gerar mídia, atrair jovens clientes e vender mais.

Além de Gigi, a empresa trouxe ao Brasil recentemente Kendall Jenner, que causou comoção durante sua “special appearence” (era esse o termo escrito no convite) na loja da Le Lis Blanc da rua Oscar Freire, no bairro paulistano dos Jardins. Kendall integra o clã Kardashian-Jenner, a família americana que começou mostrando sua rotina em um reality show na TV e acabou virando sinônimo de fama em tempos de Instagram. Vale lembrar que, na última semana, Caitlyn Jenner, o pai de Kendall, quebrou a internet ao anunciar seu novo nome (antes ela se chamava Bruce) e mostrar o resultado do processo que passou para se tornar mulher na capa da revista Vanity Fair.

Reprodução/ Instagram
Ver Galeria 10

10 imagens

Apesar da família polêmica, Kendall conseguiu traçar um caminho próprio - além de ter 28,3 milhões de seguidores no Instagram, frequenta passarelas internacionais de grifes como Chanel e Givenchy, é estrela de capas de revistas de moda renomadas e integra o seleto rol das 50 modelos mais importantes do mundo, segundo o ranking do Models.com. Em sua conta na rede, além de fotos espontâneas, ela posta imagens estabelecidas em contrato, a exemplo de quando anunciou que seria a nova garota-propaganda da Calvin Klein. “Apostamos em rostos que traduzem a geração atual”, diz Kevin Carrigan, diretor criativo da grife americana. É claro que no perfil da jovem de 19 anos há também fotos de festas ao lado das amigas Gigi Hadid, Karlie Kloss e Cara Delevingne. 

Cara, aliás, é a menina rebelde da turma. Face da YSL, garora-propaganda da Burberry e queridinha do estilista Karl Lagerfeld, a modelo britânica vive mostrando suas caretas para seus 13,6 milhões de seguidores e não hesita em exibir seu lado ‘trash’. Por isso mesmo, coleciona contratos milionários. A ascenção da geração Millenium ao topo do olimpo fashion vem promovendo uma reação em cadeia. “As modelos que começaram suas carreiras antes do boom das redes tiveram que mudar. Hoje em dia, elas não podem apenas desfilar ou fotografar bem. Precisam compartilhar o seu dia-a-dia, assim como as Kardashian-Jenner fazem”, afirma Daniela Falcão, diretora de redação da revista Vogue. “Um dos exemplos é a modelo Candice Swanepoel. Apesar de não ser frequentadora das principais passarelas, ela vem conquistando muitos seguidores por dividir sua rotina dela e, não adianta, o que ela publica também vende.”