Anitta é uma diva francesa dos anos 1970 no clipe de 'Downtown'

Anna Rombino - Especial para O Estado de S. Paulo

Stylist Yasmine Sterea se inspirou na alfaiataria da França e na atriz Rita Hayworth para elaborar o visual da cantora no vídeo

Anitta colaborou com o cantor colombiano J Balvin para a música 'Downtown'

Anitta colaborou com o cantor colombiano J Balvin para a música 'Downtown' Foto: Instagram.com/@anitta

No último clipe de Anitta, Downtown, lançado na segunda, 20, em parceria com o colombiano J Balvin, os cantores vivem um casal de ladrões de cassinos em Paris - uma espécie de Bonnie e Clyde franceses. 

O vídeo é recheado de cenas sensuais, que incluem uma dança entre Anitta e outra mulher. O figurino, assinado por Yasmine Sterea, que também fez o styling de Sua Cara e dos outros clipes do projeto Checkmate, projeto da cantora de lançar um clipe por mês até o final do ano, segue a mesma proposta. 

Entre os looks da cantora, montados apenas com peças pretas, estão um vestido de látex, peças de couro e muitas lingeries, todas produzidas pela C&A.

Em entrevista ao E+, Yasmine falou do seu processo criativo, referências e de como é trabalhar com Anitta. Confira: 

Quais foram suas principais referências na hora de criar o figurino de Downtown

Olhei muito pra moda francesa dos anos 1970. Para aquela alfaiataria bem cortada, sofisticada. Queríamos imprimir uma power woman de terno, mas sem perder a feminilidade. Um mix de masculino e feminino. A Rita Hayworth também nos inspirou bastante. Um old glamour feito para os dias de hoje.

Por que você optou por vesti-la apenas com roupas pretas?

O preto é uma cor forte, chic e sensual na medida. Como resolvemos trabalhar com materiais diferentes, como o látex, o preto traz sofisticação. E fora que o preto deixou a linguagem do clipe mais misteriosa, como pedia todo conceito. 

Qual foi o seu maior desafio na hora de compor o visual desse clipe? E a parte mais divertida? 

Meu maior desafio foi encontrar o equilíbrio certo do sensual versus moderno versus sofisticado. E o mais divertido é sempre a busca pelas peças certas. Tínhamos mais de 8 araras de roupas. Adoro fazer as composições. Me divirto muito. 

Como surgiu a proposta de trabalhar com a Anitta? Você já havia assinado o styling de clipes antes?

A primeira vez que trabalhei com a Anitta foi no clipe de Sua Cara, a convite do Giovanni Bianco e do Bruno Iglioti. Eu nunca tinha feito clipes antes. Foi uma experiência muito diferente, que eu amei. Foi depois do clipe de Sua Cara que a Anitta me convidou pra fazer o styling dela em tudo. 

Como é o seu processo criativo? A Anitta te passa algumas ideias?

Eu e ela sempre conversamos muito antes, ouço bastante a música antes de começar toda a pesquisa. Olho muito pro mundo da arte e do cinema pra buscar inspiração. Dentro da minha empresa, a YS Creative Studio, tenho uma equipe de 8 pessoas - stylists, ilustradores, artistas, cada uma com um olhar diferente –, e, juntos, desenvolvemos todo um universo pra cada clipe. Confeccionamos dentro do nosso estúdio vários looks, alguns com designers parceiros também. 

Em Is That For Me, o figurino era muito ousado, e em Sua Cara, era uma coisa puxada para o street. Como você faz para Anitta ficar com um estilo completamente diferente, e mesmo assim não fugir da identidade dela? 

No projeto Checkmate, a ideia foi mesmo fazer clipes bem diferentes. A Anitta é uma artista maravilhosa e que segura todos esses universos. Ela vai do street ao glamour sem deixar de ser a Anitta. Por isso amo tanto trabalhar com ela.