Amputados, idosos e gordos desfilam de biquíni na passarela de Ronaldo Fraga na SPFW

Maria Rita Alonso e Gabriela Marçal - O Estado de S. Paulo

Estilista mineiro apresentou coleção de moda praia com seu estilo transgressor e inclusivo

Coleção de moda praia foi desfilada por pessoas de diversos biotipos

Coleção de moda praia foi desfilada por pessoas de diversos biotipos Foto: Zé Takahasshi/ Fotosite| MIguel Schincariol/AFP

Os desfiles de Ronaldo Fraga sempre são aguardados por levarem para a passarela muito mais do que roupas. Em edições passadas, o estilista abordou questões como os refugiados e a transfobia. Nesta edição da SPFW, ele anunciou que apresentaria uma coleção e de moda praia para evocar dias mais leves. Realmente, os biquínis e maiôs vintages desfilados nesta quarta-feira, 30, traziam um toque de humor, mas Fraga não deixou de escancarar temas que ainda são sensíveis na moda. Modelos amputados, idosos e gordos entraram na passarela ao som de uma banda tocando marchinhas de Pixinguinha.

“Na moda praia, todas as pessoas têm o corpo perfeito. O homem tem a barriga sarada, a menina tem o bumbum redondo impecável, mas na verdade a perfeição não existe. A minoria da minoria tem esse corpo. Será que as pessoas ainda precisam cultuar essa imagem inatingível? Porque no brasil todo mundo quer ser chique nesses tempos áridos e difíceis?”, disparou Ronaldo Fraga logo após o desfile.

Fluvia Lacerda, considerada a principal modelo plus size do mundo, estreou na SPFW após 14 anos de carreira. “Essa é a tendência do mundo. Acredito que muitas grifes ficam emperradas em uma ideologia que não corresponde mais ao público. Essas marcas não vão sobreviver", afirma a modelo plus size.

Os bíquinis e maiôs ao estilo anos 20 foram confeccionados em um neoprene que se assemelha à sarja. O estilista escolheu o clima vintage, para fazer referência à uma época em a elite descobriu a praia brasileira.