A vanguarda do streetwear

Helena Tarozzo - O Estado de S.Paulo

Inspiradas por grandes estilistas contemporâneos, marcas criam um novo estilo conceitual das ruas

Alfaiataria alongada, recortes e referências esporte tiveram presença no desfile masculino da Givenchy S/S 2015

Alfaiataria alongada, recortes e referências esporte tiveram presença no desfile masculino da Givenchy S/S 2015 Foto: Reprodução

Há uma vertente na moda norte-americana e europeia que nos faz pensar sobre os novos rumos do streetwear. Longe daquilo que foi criado primeiro para surfistas e skatistas e depois adotado pelos rappers, surge uma nova identidade que flerta com a alta-moda tanto em estética quanto em originalidade.

Números grandes estampados, calças largas, jaquetas bomber, alfaiataria desconstruídas, modelagem oversized, camisetas alongadas e tênis ou botas nos pés.

Tudo isso está sendo visto nas ruas do hemisfério norte e nos blogs de street style mais descolados do mundo. Trata-se dessa vertente contemporânea que paradoxalmente é ao mesmo tempo minimal e maximal. Como uma reação em cadeia, essa tendência traz referências que se mesclam umas com as outras e tornam o estilo cada vez mais democrático. Os próprios estilistas sabem bem disso e fazem também o seu streetwear de luxo – Givenchy, Kenzo, Ann Demeulemeester e Comme des Garçons são os melhores exemplos.

A Kenzo apostou em um mix and match de tricô, couro e pele na coleção de Inverno 2015

A Kenzo apostou em um mix and match de tricô, couro e pele na coleção de Inverno 2015 Foto: Reprodução

Algumas marcas norte-americanas de streetwear entederam esse conceito e levam para suas coleções essas referências cool e contemporâneas, que fazem escola depois da antológica  Supreme. 

Hood by Air, Off-White,County of Milan Pyrex e Pigalle, por exemplo, são citadas pelo site The Business of Fashion como expoentes dessa vanguarda. "As quais não vendem apenas roupas que caem bem, mas mensagens originais e identidades para os consumidores."

Mais que falar sobre estilo de vida, essas marcas se pautam por comportamentos, e esses vêm diretamente das ruas e das necessidades que seu próprio público tem de vestir. Cultura, música, arte, esporte e internet se fundem na gama de inspirações, como uma colagem, no processo de criação.

Com peças feitas em moulage, a Trendt eleva o streetwear a um novo patamar

Com peças feitas em moulage, a Trendt eleva o streetwear a um novo patamar Foto: Reprodução

No Brasil esse tipo de streetwear ainda caminha tímido, mas existe. Marcas como a feminina Nuage e as masculinas Dercanvas e Piet 73 são alguns exemplos. A unissex Trendt, do estilista Renan Serrano, também é uma das apostas desse novo streetwear de vanguarda. “O Brasil ainda não tem essa cultura de moda para a rua, de se vestir de manhã de uma maneira e permanecer assim durante todo o dia, de ter uma identidade própria e coragem de se vestir diferente", diz Renan. Com camisetas feitas em moulage, técnica usada na alta-costura que molda a roupa no próprio manequim, e estampas exclusivas em devoré a marca se destaca justamente por trazer  conceito à roupa casual.  

Nesse movimento, fica a dúvida de qual será o novo que virá diretamente das ruas. Foi-se o tempo do oriundo da subcultura? Pelo jeito, as referências que vêm das passarelas conceituais fincarão raízes cada vez mais fortes. E assim, a rua também se torna cada vez mais fashionista...