A revanche das lojas físicas

Camila Salek - O Estado de S.Paulo

Depois do boom do comércio online, a venda tradicional volta a ganhar força

Criado em parceria com o Ebay, o provador virtual da loja da marca Rebecca Minkoff, em Nova York, é um exemplo de integração dos ambientes físico e digital.

Criado em parceria com o Ebay, o provador virtual da loja da marca Rebecca Minkoff, em Nova York, é um exemplo de integração dos ambientes físico e digital. Foto: Divulgação

Como já contei por aqui, na semana passada estive no Retail's Big Show, em Nova York, maior evento de varejo do mundo, organizado pela National Retail Federation. Uma das conferências mais interessantes a que assisti tinha o tema "Brick is the New Black" (“Lojas físicas estão na moda”, em tradução livre), em que um representante da empresa de software JDA afirmou que, em 2015, 95% de todas as vendas no varejo serão capturadas por lojas que possuem presença no varejo físico.  

Para os que acompanham os movimentos do setor essa foi uma grata surpresa. Nos últimos anos, com o crescimento das compras no mundo digital, muitos profissionais apostaram que as lojas físicas iriam diminuir e que o mundo digital dominaria o mercado. Passado o boom do início deste processo, o que se percebe é que as vendas digitais vêm evoluindo, sim, mas que sem dúvida o ambiente da loja torna-se cada vez mais necessário para completar a experiência de compra. Nos bastidores da NRF, sobretudo entre o grupo de executivos brasileiros guiados pela consultoria GS&MD, o retorno da importância das lojas físicas vem sendo um dos assuntos mais comentados.

Trata-se de uma excelente oportunidade para varejistas brasileiros reposicionarem suas unidades como centro da nova experiência de compra. O cliente atual está socialmente conectado e muito mais poderoso, pois tem acesso a informações de produtos em tempo real. Por isso, a loja deve ser o coração da conexão entre marca e consumidor. O grande desafio será a criação de um modelo que integre o ambiente online e o presencial, permitindo mais opções para quem compra. Ao criar um provador virtual em sua própria loja, a marca Rebecca Minkoff mostra como isso é possível (veja foto acima). Em pesquisa divulgada no Big Show, fiquei sabendo que o cliente passa 6 vezes mais tempo na loja física que na online. É muita diferença! Grandes varejistas já estão apostando nessa tendência e marcas como a já anunciam planos de expansão, como a gigante de decoração Ikea, que abrirá 120 novas lojas até 2020. Os profissionais do setor agradecem!