A Moda e a Cidade: Paola Carosella

Helena Tarozzo - O Estado de S.Paulo

A chef mais exigente da TV brasileira mostra que tem bom gosto também fora da cozinha e fala de suas preferências de estilo

Básico chique: a chef na frente de seu restaurante, o Arturito, em Pinheiros.

Básico chique: a chef na frente de seu restaurante, o Arturito, em Pinheiros. Foto: Amanda Perobelli

Quem acompanha o programa Master Chef, reality show de gastronomia da Band, já percebeu que a chef Paola Carosella é bem exigente. Em seu restaurante, o premiado Arturito, em São Paulo, ela também é e ali o bom gosto reina em tudo. Da trilha sonora às pequenas alcaparras que acompanham alguns pratos, tudo leva uma sofisticação despretensiosa: são os melhores ingredientes, todos orgânicos, que respeitam a natureza e imprimem a personalidade contemporânea da chef.

Em seu estilo pessoal, Paola não poderia ser diferente. Reúna o bom gosto e a exigência e adicione ainda um pouco de simplicidade que você terá a moda da chef argentina. Ela veste quase um uniforme composto por jeans, camisa e botinas para enfrentar a rotina diária na cozinha. Mas pode ter certeza, eles são, assim como as carnes que ela serve, da melhor qualidade. 

Nascida em Buenos Aires e radicada em São Paulo há 13 anos, Paola confessa que já teve seu momento de "amor e ódio" com a cidade, mas hoje o amor fala bem mais alto.  Entre suas indicações de estilo, ela se mostra uma fashionista discreta, mas que sabe escolher bem. 

Você já mora em São Paulo há um bom tempo, qual é sua opinião sobre a cidade?

No começo, quando me mudei, achava uma cidade muito feia. Como boa portenha sinto saudades de andar na beira do rio e ver a luminosidade do dia, coisa que em São Paulo é mais difícil de parar para observar. Mas atualmente acho legal que as pessoas estão se esforçando para deixar a cidade mais bonita, com as ciclofaixas, com os movimentos artísticos que estão acontecendo, como o Hospital Matarazzo – que espero que fique para sempre como um lugar de arte.

E o que você acha do estilo das pessoas aqui? Como sente a moda na cidade?

São Paulo tem mulheres muito elegantes, tanto executivas, que sabem se produzir com as peças certas, quanto as mais jovens que gostam de moda. Mas também tem as diversas tribos, cada uma com seu estilo, que eu acho uma coisa super legal. Adoro o estilo das moças que se esforçam para continuar bonitas andando de bicicleta nas ruas aqui de Pinheiros (bairro onde está localizado seu restaurante). Outra coisa que achei legal foi ter aberto uma Riachuelo na Oscar Freire, parece que a rua está querendo se democratizar.

Existe aquele imaginário de roupa de chefs de cozinha, sempre com avental e Crocs nos pés, mas pelo jeito você não é assim. Como é seu estilo?

Sou bem básica, tenho praticamente um uniforme que posso usar tanto na cozinha como para ir a outros lugares, como buscar minha filha na escola, fazer reuniões e ainda estar bem vestida do dia até à noite. Então sou jeans e camisa – ou camiseta.

E sua moda mudou desde que começou o Master Chef?

Sim! Fiquei mais atrevida com minhas roupas, passei a usar muito mais vestidos, saias e saltos. Antes não gostava das minhas pernas, mas agora gosto.

Quais são suas lojas favoritas de roupas aqui?

Gosto muito da NK Store e da Zara para camisas, que são ótimas e das camisetas brancas da Rapsodia, que é argentina, mas vende aqui. Para calças jeans gosto da Seven For All Mankind e Citizens of Humanity, que compro fora. Aqui do Brasil gosto das da Ellus, que já usei no programa. Para vestidos e outras roupas que uso para sair à noite, fico com o Tufi e a Carina Duek, que têm acabamentos impecáveis. Também gosto de brechós, onde posso comprar qualidade a baixos preços. Recentemente comprei um trechcoat da Aquascutum, no B.Luxo por R$ 200, vale muito a pena.

E de sapatos?

As botas da Blow Up, da Rua Oscar Freire são as melhores, uso todos os dias, mesmo no verão. Já quando preciso de um sapato mais sofisticado, fico com os da Sarah Chofakian, que são diferentes e ainda tem modelos na minha numeração.

Você gosta de acessórios? Onde os encontra?

Não sou muito de acessórios, mas prefiro poucos e bons. Tenho esse relógio Jaeguer Le Couture, que ganhei e uso todos os dias.

E os seus lenços?

Uso os carrés da Hermès, que são lindos e tenho uma coleção. Mas compro no Ebay, que tem uns baratos, já achei um por 30 euros!

Qual o seu cabeleireiro?

Vou ao Tampopo, que é o salão de um japonês e fica nos Jardins, na Rua da Consolação.

E onde compra maquiagens?

Costumo comprar fora, mas recentemente esqueci meu nécessaire em uma viagem e quando cheguei fui à loja Quem Disse Berenice? E me resolvi muito bem lá, gostei.

Existe alguma paulistana que você considere um ícone de estilo?

Sim, a minha amiga, Gabriela Muniz, chef do Chou. Falo dela porque acho que ela mantém uma linha de coerência no estilo, na comida que ela faz e até na decoração da casa dela. Ela faz com que tudo seja ela e tenha a cara dela, com as coisas que ela acredita. Isso para mim é ter estilo – além de que ela é linda de morrer.