A gentileza recompensa a si mesma

Barton Goldsmith - O Estado de S.Paulo

A cortesia é um instrumento muito poderoso que faz com que as pessoas deixem de se sentir solitárias, e abre as portas para uma vida repleta de calor humano

Algumas pessoas acreditam que ser gentil é um sinal de fraqueza, mas não é nada disso. Ser gentil pode fazer a diferença entre o sucesso e o fracasso. Pode acrescentar mais profundidade e sentido à nossa vida e aos nossos relacionamentos. E também mudará a vida dos outros de uma maneira profunda e positiva. A cortesia é um instrumento muito poderoso que faz com que as pessoas deixem de se sentir solitárias, e abre as portas para uma vida repleta de calor humano.

A cortesia é um instrumento muito poderoso que faz com que as pessoas deixem de se sentir solitárias, e abre as portas para uma vida repleta de calor humano

A cortesia é um instrumento muito poderoso que faz com que as pessoas deixem de se sentir solitárias, e abre as portas para uma vida repleta de calor humano Foto: Darinka Maja/Creative Commons

Alguns camuflam seu sofrimento emocional com uma atitude grosseira que afasta as pessoas. Mas a maioria quer mais contato humano e não menos. Infelizmente, o medo do juízo dos outros pode nos levar a fazer escolhas inadequadas e a exibir comportamentos que impedem que os outros se aproximem de nós.

Sendo gentis, podemos abrir todas as portas e talvez mesmo alguns corações. Quando somos gentis com as outras pessoas, elas correspondem fazendo com que nos sintamos seguros ao seu lado. Embora seja fácil compreender este conceito, colocá-lo em prática pode ser particularmente complicado quando costumamos mascarar nossos medos com uma atitude grosseira ou simplesmente nos escondemos da raça humana.

Para mostrar gentileza, as pessoas precisam saber o que ela é. Portanto, é oportuno analisá-la um pouco. Em primeiro lugar, é interessante procurar lembrar das vezes em que as pessoas foram gentis conosco, e pôr isto no papel. Ao escrever, outras lembranças e pensamentos nos ocorrerão. Vamos lembrar destes também. Em seguida, façamos uma segunda lista das vezes em que fomos gentis com os outros. Talvez isto leve alguns dias, afinal, não se trata de uma competição. Quando nossas listas estiverem completas, vamos analisá-las. São iguais, ou uma é mais longa do que a outra? Será que mostramos mais gentileza do que recebemos, ou vice-versa?

Se parece que demos mais, mas aparentemente não recebemos muito em troca, consideremos as pessoas às quais demos o melhor de nós. Talvez elas não sejam do nosso time ou guardem algum tipo de rancor. Se recebemos mais do que demos, está na hora de equilibrarmos as contas e começar a mostrar mais gentileza.

Ajudar as velhinhas (ou os velhinhos) a atravessar a rua é uma maneiras de mostrar delicadeza. O mesmo é válido com pessoas que têm problemas de desenvolvimento, crianças carentes e os sem teto. Não deveremos esperar que algumas das pessoas às quais ajudamos se tornem nossas amigas. Esta é uma rua de mão única. Nós damos e os outros recebem. O que recebemos em troca é o que isto pode mudar na nossa personalidade e contribuir para abrir o nosso coração.