A cara nova-velha do jeans

Helena Tarozzo - O Estado de S.Paulo

Estaria o modelo skinny com os dias contados?

O estilista Vitorino Campos apostou na modelagem reta e simples, numa composição descomplicada

O estilista Vitorino Campos apostou na modelagem reta e simples, numa composição descomplicada Foto: Divulgação

Sabe aquele jeans com corte reto, de cintura alta, que você aboliu há uns 6 ou 7 anos? Bom, pode tratar de reconsiderá-lo, pois é o tipo de peça que logo mais pode estar na sua lista de desejos. Contra a corrente massificada do skinny jeans, aquele justo cheio de elastano, que foi criado para afinar silhuetas e diminuir quadris, um “novo-velho” jeans está dando as caras no meio da moda. E trendsetters como Leandra Medine, do blog Man Reppeller, a diretora da Vogue francesa Emmanuelle Alt e a modelo brasileira Cris Herrmann, já deram as cartas e parece mesmo que o skinny pode estar com os dias contados.

Vinda diretamente dos anos 90 - com um quê de 70 - elas têm cintura alta, são usadas com camisas mais estruturadas, saltos ou sandálias rasteiras. Possuem um ar tomboy, mas que ao invés de achatar a cintura, realça as curvas e o quadril e se diferenciam de todo o resto justo e apertado usado à exaustão desde que Kate Moss consolidou o skinny nos anos 2000.

A top brasileira Cris Herrmann foi uma das que adotou o corte de jeans

A top brasileira Cris Herrmann foi uma das que adotou o corte de jeans Foto: Reprodução Instagram/ Eduardo Bravin

Durante as semanas de moda internacionais essas calças foram alvo certo dos fotógrafos de street style e, a partir de seus registros, a onda veio com tudo, Mais cool impossível. A publicação norte-americana, The Wall Street Journal, chamou atenção recentemente para alguns dados de que cresceu a procura por jeans vintage em brechós: “Nos últimos meses, muitas mulheres que lideram o topo da vanguarda fashion estão em busca de jeans vintage (ou que perecem vintage) que derivam principalmente do icônico modelo 501 da Levi’s, que foi superpopular nos anos 1990.”

No Brasil, a tendência se mostrou forte na passarela de Vitorino Campos, que apostou fundo no jeans reto, que ganhou um ar mais sofisticado ao ser usado com.  Essa foi a primeira vez que o estilista apostou no jeans - gerando ora controvérsias ora deleite -, o que veio a calhar muito bem para seu estilo descompromissado que não perde a elegância jamais.  

O jeans “voltar” à essa forma mais crua denota alguns outros pontos, que cercam a busca de tecidos mais naturais; uma atmosfera low profile de se vestir, um jeito mais normal e com menos ostentação e, sobretudo, a vontade de ser mais simples.

No blog Altamira NYU, o jeans aparece nas ruas de Paris vestido por editoras de moda

No blog Altamira NYU, o jeans aparece nas ruas de Paris vestido por editoras de moda Foto: Reprodução