Meninas protestam contra proibição de cabelo black power em escola

Isabela Serafim - Especial para O Estado de S. Paulo

Depois de colega ter sido expulsa de colégio na África do Sul, alunas organizam manifestação dentro e fora das redes sociais

Meninas entre 13 e 18 anos foram às ruas depois de colega ter sido expulsa.

Meninas entre 13 e 18 anos foram às ruas depois de colega ter sido expulsa. Foto: Reprodução/Twitter

Estudantes adolescentes foram às ruas na última semana na cidade de Pretoria, na África do Sul, para protestar contra a expulsão de uma colega que usava tranças no cabelo da Pretoria High School For Girls, um dos colégios mais tradicionais do local. Elas acusam a instituição de ensino de proibir o uso de cabelo black power e outros penteados afro. 

O caso ganhou grande repercussão na internet com a hashtag #StopRacismAtPretoriaGirlsHigh. Os usuários do Twitter afirmam que a questão não se resume a esse caso pontual, mas que é mais abrangente e se refere ao preconceito herdado do período do Apartheid, regime de segregação racial que terminou há 22 anos no país.

O protesto aconteceu na cidade de Pretoria, na África do Sul.

O protesto aconteceu na cidade de Pretoria, na África do Sul. Foto: Reprodução/Twitter

Em entrevista ao Eye Witness News, Panyaza Lesufi, responsável pelo departamento de educação do governo da região, afirmou que medidas estão sendo tomadas."Nenhum aluno será punido por causa de seu penteado até que a administração da escola elabore um novo código de conduta que lide especificamente com essas questões", disse.