Semana de Moda de NY se adapta a mudança do mercado

REUTERS - O Estado de S.Paulo

Novos visuais nas passarelas serão baseados em mudanças nos bastidores, à medida que estilistas renovam suas apresentações para encontrar as necessidades dos consumidores digitalmente engajados

Modelos durante apresentação da coleção Yeezy Season 3, do cantor Kanye West, na Semana de Moda de Nova York.

Modelos durante apresentação da coleção Yeezy Season 3, do cantor Kanye West, na Semana de Moda de Nova York. Foto: REUTERS/Andrew Kelly/File Photo

Cerca de 100 estilistas irão apresentar suas coleções na Fashion Week que tem início na quinta-feira, 8. Os visuais são esperados para remeter à década de 1980, com definições, cortes generosos, babados e roupas que transcendem as estações. "Acho que vamos ver muito mais produtos sem estações definidas; em outras palavras, será muito mais sobre camadas", disse a chefe do departamento de passarelas na empresa de previsão e análise de tendências WGSN, Lizzy Bowring.

Outro tema inclui roupas urbanas e inspiradas em roupas de ginástica, popularizado pelos cantores Kanye West, Beyoncé e Rihanna, cuja coleção Fenty Puma estará disponível nesta semana em lojas. "Muitas pessoas estão indo para essa área e acho que é o que as pessoas realmente estão comprando", disse o diretor de marketing de moda da Hearst Magazines, Town & Country, William Kahn. "O cultura de celebridades está tão forte agora, que caso Beyoncé ou Rihanna coloquem seus nomes em algo, só isso já cria uma grande tendência", completa.

Enquanto muitos estilistas irão apresentar coleções Primavera/Verão 2017 que não estarão em lojas por meses, outros vão tentar um formato diferente, apresentando roupas sem estações. Algumas marcas estão optando pelo modelo "veja agora, compre agora" de designers nas passarelas, imediatamente disponível para consumidores. "É um momento de mudança na moda e experimentação, em termos de tornar a Semana da Moda relevante agora", disse Kahn. "Antes, a Semana de Moda era para mostrar o que saía em seis meses, hoje, é para vender roupas agora."