Cabelo de mãe existe: saiba o que fazer a respeito

Bee Shapiro - The New York Times

Mais longo atrás e ligeiramente curto na frente, o corte é inquestionavelmente desalinhado

Michelle Ehrhardt cortou os cabelos no salão Kennaland, em Nova York. O corte acima dos ombros pode ser uma solução chique ao "corte de mãe".

Michelle Ehrhardt cortou os cabelos no salão Kennaland, em Nova York. O corte acima dos ombros pode ser uma solução chique ao "corte de mãe". Foto: Jennifer S. Altman/The New York Times

Em moda temos os “jeans da mãe”, que é cool. Mas existe também seu contraparte: o “cabelo de mãe”. Você provavelmente já viu em shoppings suburbanos: mais longo atrás e ligeiramente mais curto na frente, pode até parecer elegante, mas é inquestionavelmente desalinhado.

E as mães da cidade grande também não estão imunes. Talvez tenham adicionado um toque pessoal, como uma franja ou mais uma camada no cabelo, mas ainda assim não fica nada atraente.

“Vejo isto o tempo todo”, disse Juan Carlos Maciques, estilista do salão de beleza Rita Hazan, em Manhattan. “A primeira coisa que uma mãe recente deseja é cortar o cabelo. Sente-se horrível com relação ao seu corpo e quer se sentir ela mesma de novo. Mas em geral cortar o cabelo é um grande erro”.

Não é apenas o desejo de um novo look que leva muitas mães ao salão. O fato é que elas passam por mudanças físicas que podem ser terríveis. 

“Entre os quatro e seis meses após o parto, as mulheres começam a ter queda de cabelo”, disse Francesca Fusco, dermatologista em Manhattan, acrescentando que isto ocorre devido a mudanças nos níveis de hormônio. “E realmente é alarmante porque parece que nunca termina. Mas, em geral, a situação se corrige sozinha”.

Mais longo atrás e ligeiramente mais curto na frente, o "corte de mãe" pode até parecer elegante, mas é inquestionavelmente desalinhado.

Mais longo atrás e ligeiramente mais curto na frente, o "corte de mãe" pode até parecer elegante, mas é inquestionavelmente desalinhado. Foto: Jennifer S. Altman/The New York Times

O cabeleireiro Maciques recomenda que as novas mães esperem um ano antes de fazer alguma mudança drástica. “Porque então você vai saber o que mudou. Não é somente seu cabelo que mudou, mas seu corpo também. Você talvez não esteja ainda com o peso que deseja. E na verdade, o cabelo longo pode ser uma forma de desviar a atenção. O cabelo curto deixa a pessoa mais exposta. Esconde menos”.

Em parte foi por isto que Katie Hintz-Zambrano, cofundadora do website mothermag.com, com sede em San Francisco, resolveu manter suas longas mechas.

Apesar de as entradas do cabelo terem se aprofundado no decorrer de um ano (eu parecia um vampiro, disse ela) depois de ter dado à luz, Katie evitou ir ao cabeleireiro. “Para mim tinha a ver também com a identidade que eu queria manter”, afirmou, acrescentando que sempre teve cabelos longos e se sente mais à vontade com esse estilo.

Katie adotou alguns truques para enfrentar os meses mais difíceis no caso do cabelo. Graça a algumas amigas, soube dos benefícios do xampu seco. “Ele proporciona um pouco mais de volume”. 

É possível também seguir o caminho adotado por Kate Middleton: manter o comprimento, mas cortar a franja para ajudar a camuflar o cabelo crespo que começa a surgir. (A duquesa de Cambridge estreou uma longa franja depois de a princesa Charlotte completar quatro meses). A dermatologista Francesa Fusco também aconselha uma boa nutrição, com muita proteína e uma vitamina para unhas e cabelos durante essa fase.

Mas há alternativas simples e fáceis para mães que desejam mudar o visual após o parto.

Mas há alternativas simples e fáceis para mães que desejam mudar o visual após o parto. Foto: Jennifer S. Altman/The New York Times

Do contrário, “mantenha a rotina”, explica Francesca. “Você pode não lavar muito o cabelo com xampu porque acha que o cabelo está caindo muito, mas de qualquer modo ocorrerá uma queda de cabelo.”

Independentemente do método, Maciques sublinha quais estratégias podem ser usadas mais adiante. “Idealmente você começa a planejar quando ainda está grávida. No caso da cor do cabelo, deve mantê-lo mais natural no terceiro trimestre. Um ombré também é uma maneira interessante para resolver o problema de menos idas ao cabeleireiro”, explica.

Além disto, nem todo cabelo curto em uma mulher grávida merece ser criticado. Um corte acima dos ombros pode ser uma solução chique para alguns tipos de cabelo. Svenja Parotat, designer de joias e ex-modelo em Williamsburg, Brooklyn, adotou um corte médio, mas depois do nascimento do filho, hoje com dois anos, cansou do cabelo totalmente liso.

“Não sabia o que fazer e o cabelo sempre caía no meu rosto.Eu não estava dormindo bem e o cabelo longo me deixava com um ar ainda mais cansado”. Ela optou por um “lob” antes de finalmente partir para o “blunt bob” (corte reto). “Senti-me mais nova e precisava somente de 10 minutos para secar com o secador”, disse Svenja.

Kenna, fundador do salão Kennaland em Greenpoint, disse que, no caso das mães do Brooklyn, não se trata de rejeição do “bob” e sim de mudança dos detalhes. “Você consegue fazer muita coisa com o cabelo na altura do queixo”, disse ele. “Estamos incentivando as mães a adotar uma textura natural e se sentirem mais jovens, exuberantes de novo”.

Outro truque que agradou as clientes de Kenna são as franjas bem curtas. “Dá um aspecto adolescente de irresponsabilidade e jovialidade”, explica.

E não minimize o impacto da cor. Kenna lembrou de uma cliente que sempre foi loira. “Ela estava com o bebê de 11 meses e achou que aquela cor a deixava muito pálida”, disse. Com uma tonalidade cobre mais vibrante “os lábios voltaram a ficar vermelhos e ela passou a se sentir bem”, explicou. “É uma questão de dar à mamãe o pequeno estímulo que ela precisa”.