Burberry inspira nostalgia na Semana de Moda de Londres

REUTERS - O Estado de S.Paulo

Estampas florais e franzidos vitorianos definiram a primeira coleção 'see now, buy now' exibida pela Burberry na segunda-feira, 19

Burberry verão 2017.

Burberry verão 2017. Foto: AFP PHOTO / Justin TALLIS

A grife britânica Burberry  estreou suas coleções feminina e masculina na passarela e as disponibilizou de imediato para compra em lojas físicas e pela internet, descartando o intervalo tradicional de seis meses entre o desfile e a venda no varejo.

As coleções andróginas se inspiraram em "Orlando", romance de Virginia Woolf de 1928 que fala de um poeta e aristocrata que muda de gênero, e nos projetos de casas de campo inglesas da decoradora de interiores britânica Nancy Lancaster. O diretor criativo da Burberry, Christopher Bailey, disse à Reuters que se inspirou na ideia de "viver através de períodos diferentes e na fluidez do gênero".

"Acho que nossa indústria está mudando de forma bastante dramática, como estão todas as áreas, por causa da tecnologia e dos comportamentos diferentes", disse. "Eu tentei refletir isso na coleção, já que temos várias referências históricas. Mas as peças têm aspectos modernos e o formato é bastante contemporâneo".      

A primeira fileira contou com a presença de estrelas, entre elas a editora-chefe da revista Vogue, Anna Wintour, a modelo Cara Delevingne e as atrizes Felicity Jones e Lily James, que viram looks de tons campestres, como verdes viçosos profundos, rosas foscos e amarelos terrosos na passarela. Entre os destaques estavam jaquetas e trench coats desconstruídos inspirados em estilos militares britânicos, blusas de gola franzida e calças curtas em tecidos que foram da seda ao cashmere e da sarja à lã.