Vítimas já planejam como gastar o dinheiro

Gilberto Amendola - O Estado de S.Paulo

As vítimas da "pílula de farinha" ainda não sabem quanto vão receber de indenização do laboratório Schering, nem quando isso ocorrerá. Mas não perdem tempo e já fazem planos para o futuro. As mães já contam com o dinheiro para colocar contas em dia, sair do aperto e, principalmente, pagar a faculdade dos filhos."Vou investir no futuro do meu filho. Com a indenização, vou poder pagar uma faculdade para ele. O Vitor vai ter oportunidades que o resto da família não teve", disse Eunides Francisca de Oliveira, de 37 anos. "Tenho três filhos. Os mais velhos trabalham e não puderam freqüentar uma universidade. Quem sabe, com esse dinheiro, o Diego tenha uma chance", completou Idalina Silva Pinto Mortari, de 50 anos.Maria Lúcia do Nascimento, de 48 anos, gosta de ressaltar que sua filha Daiana é a coisa mais importante do mundo. "Por isso, a gente precisa brigar pela indenização. Vivo com um salário de diarista, gostaria de dar algum conforto para minha filha. Sei que o dinheiro não vai ser grande coisa, mas já vai ajudar muito."As "pílulas de farinha" colocaram a vida de Silvana Dangel, de 43 anos, em risco. Meses antes de começar a usar o anticoncepcional Microvlar, ela se submeteu a um outro tratamento para evitar a gravidez."Foi uma loucura. Eu quase perdi o bebê por duas vezes. Graças a Deus, isso não aconteceu, mas tenho complicações até hoje. Na época eu trabalhava com vendas, hoje estou desempregada", conta Silvana. "É claro que o dinheiro da indenização iria me ajudar e ajudar minha filha Rafaela."