Vírus pode ter levado a sumiço de abelhas

- O Estado de S.Paulo

Essa seria uma entre diversas causas do fenômeno nos EUA

Cientistas afirmam que a causa do sumiço de bilhões de abelhas nos Estados Unidos, que intriga apicultores e biólogos há meses, é um vírus que teria sido levado para o país num carregamento de abelhas australianas. Misturando uma nova técnica de análise genética com a boa e velha estatística, o grupo da Universidade Columbia identificou o vírus de paralisia aguda israelense como o gatilho potencial para o mistério. O trabalho foi publicado ontem na edição online da revista Science (www.sciencexpress.org). Para ter certeza, os pesquisadores vão infectar colméias com o vírus para verificar se é realmente letal. "Pelo menos agora temos uma pista a seguir. Podemos usá-lo como um marcador e investigar se de fato causa a doença", afirmou o epidemiologista W. Ian Lipkin, um dos autores do estudo. O fenômeno foi chamado de desordem do colapso das colônias (CCD, na sigla em inglês) e atinge principalmente países da América do Norte e da Europa. Outras hipóteses levantadas são infecção por parasitas, uso excessivo de pesticidas e difusão de plantações transgênicas. Especialistas dizem que, apesar do novo dado, a dúvida permanece. O vírus pode ser apenas a gota d?água. "Essa pode ser uma peça ou algumas peças neste quebra-cabeças, mas eu realmente não acho que responda tudo", disse Jerry Hayes, chefe da seção de apiários do Departamento de Agricultura do estado da Flórida. Traços desse vírus, identificado no país em 2004, são encontrados em colônias quase todas as vezes que se procura por ele. Já as colônias que até agora aparecem livres do CCD não apresentam o vírus. Parece provável então que a doença funcione como um sinal para que a colméia seja colocada em quarentena. "Os próprios autores (do estudo) reconhecem que essa não é uma jogada certeira", disse May Berenbaum, entomologista da Universidade de Illinois. Ela chefiou recentemente uma análise sobre o declínio de abelhas melíferas e outros polinizadores na América do Norte. Para Berenbaum, o CCD é apenas o último de uma série de problemas que têm devastado a população de abelhas na região. Por seu papel como dispersores de sementes, calcula-se que as abelhas respondam por US$ 15 bilhões anuais à agricultura norte-americana.