Vírus desconhecido mata casal no litoral paulista

Rejane Lima - O Estado de S.Paulo

A Secretaria de Saúde de Santos estuda desde o começo do mês um vírus misterioso que teria causado a morte de um casal da cidade e contaminado ainda seu filho, um trabalhador portuário. De acordo com o secretário municipal de Saúde, Odílio Rodrigues Filho, exames feitos pelo Instituto Adolfo Lutz, da Secretaria Estadual da Saúde, já descartam a hipótese de dengue, leptospirose, hantavírus, influenza e gripe aviária.Até agora, 40 pessoas foram investigadas e 21 apresentaram sintomas respiratórios, mas os exames mostraram que apenas cinco delas estavam com um vírus parecido.A primeira a apresentar os sintomas foi o filho do casal, que procurou o serviço de saúde em 17 de março com febre baixa, dor de ouvido, coriza, dor de garganta e tosse. No dia 24, sua mãe começou a ter os sintomas, foi internada no dia 28 e morreu no dia 29. No velório, o pai do jovem começou a sentir-se mal e morreu no dia 5 de abril.A Secretaria de Saúde de Santos desconfiou da coincidência e passou a investigar o caso. Segundo o secretário, a mãe aparentemente morreu por outro motivo - teve hemorragia e não doença respiratória. "Aparentemente um rinovírus, mas ainda estamos investigando de que tipo", diz o secretário.