Vaquinha para trazer Jesse Koz e Shurastey ao Brasil bate meta em horas

Marcos Leandro - Especial para o Estadão

Amigos conseguiram arrecadar R$ 120 mil para arcar com custos do transporte

Amigos promoveram vaquinha para trazer corpos de Jesse Koz e Shurastey ao Brasil.

Amigos promoveram vaquinha para trazer corpos de Jesse Koz e Shurastey ao Brasil. Foto: Instagram/@jessekoz

Os brasileiros Diego Strutz e Roana Petri Celeste, que presenciaram o acidente que matou Jesse Koz e o seu cão, Shurastey, decidiram promover uma campanha para arrecadação de dinheiro para que os corpos da dupla fossem trazidos ao Brasil. 

Com meta de R$ 120 mil, a vaquinha online foi compartilhada pelo perfil Razões Para Acreditar e artistas como Rafinha Bastos. Em poucas horas, o valor necessário foi atingido.

"Galera, já atingimos a meta, estamos parando a campanha agora. Muito obrigado a todos que ajudaram. Manteremos todos informados", escreveu o casal.

Diego e Roana estiveram com Jess e Shurastey no último final de semana. No momento do acidente, eles estavam viajando em uma van logo à frente da dupla.

"Sofremos um acidente muito feio na estrada ontem. Fizemos tudo que estava ao nosso alcance para salvar o Jesse e o Shurastey, mas infelizmente eles faleceram no local", escreveram.

Eles estavam a caminho do Canadá, que seria o último destino de Jesse antes de chegar ao Alasca. Faltavam apenas dois dias para que o influeciador brasileiro e o seu cão chegassem ao destino final. 

A viagem fazia parte de um projeto chamado "Shurastey or Shuraigow?". O nome era uma brincadeira com a música Should I Stay or Should I Go ( Devo Ficar ou Devo Ir, em tradução), da banda The Clash.

Ao lado do seu companheiro, Jesse viajava desde 2017 em um Fusca chamado Dodongo. Os dois conheceram 16 países.