USP extrai células-tronco de trompas uterinas

Herton Escobar - O Estado de S.Paulo

Pesquisadores do Centro de Estudos do Genoma Humano da Universidade de São Paulo identificaram mais uma fonte de células-tronco adultas no organismo humano: a tuba uterina. O estudo foi feito com material biológico de seis mulheres que sofreram cirurgia nas trompas por razões médicas. Os resultados mostraram que as tubas uterinas são ricas em células-tronco mesenquimais (MSCs, em inglês), um tipo de célula progenitora com capacidade para se diferenciar em tecido muscular, ósseo, adiposo (gordura) e cartilaginoso. Várias fontes de MSCs já são conhecidas e é provável que elas existam em todo o organismo. Ainda assim, a comprovação de que estão na tuba chama a atenção por se tratar de um tecido "descartável"- quando parte do órgão é removido por outras razões, tipo laqueadura ou câncer."É um lixo cirúrgico que podemos utilizar facilmente, sem esbarrar em complicações éticas", diz a geneticista Tatiana Jazedje, que faz a pesquisa como parte de seu pós-doutorado, sob a supervisão da cientista Mayana Zatz. Outras fontes "descartáveis" de MSCs são o tecido adiposo (obtido por lipoaspiração), a polpa de dente de leite e o cordão umbilical. A pergunta que fica no ar é: Para que servem essas células na tuba uterina? Segundo Tatiana, é possível que elas tenham alguma função imunológica ou sirvam algum papel na fertilidade feminina, já que é nas trompas que os embriões passam pelos primeiros estágios de desenvolvimento. O estudo está publicado no Journal of Translational Medicine