Um projeto multimídia de educação

- O Estado de S.Paulo

Ambições, descoberta de vocações, ter um projeto para o futuro. Se o mundo da educação fundamental ainda é o do estudo como um fato da vida, algo que todo mundo faz mais ou menos do mesmo jeito, o do ensino médio e superior já coloca o aluno como protagonista. Nada vem pronto: é preciso descobrir o que se quer e correr atrás, enxergar oportunidades e se planejar para aproveitá-las. Aí está a graça da coisa.Com este primeiro número do Estadão.edu, o Grupo Estado lança um projeto multimídia que pretende ser um coadjuvante nessa transição de estudantes e jovens profissionais para protagonistas do seu futuro. Nossa reportagem de capa, por exemplo, fala da economia verde e da necessidade de profissionais já graduados investirem na formação ambiental. "A indústria da tecnologia limpa terá empresas tão grandes quanto Google, Microsoft e GM", aposta a americana Rona Fried, especialista em green jobs. É uma oportunidade semelhante à vislumbrada por quem enxergou as implicações da revolução da informática ainda no seu início.Em tempos de mudança no vestibular, com alterações nas provas da Fuvest e da Unesp e a proposta de transformar o Enem num mecanismo nacional de seleção, o Estadão.edu voltou suas atenções para um vestibular diferente: o do Direito da FGV, que dá ênfase à interpretação de obras artísticas e só tem exames orais na segunda fase, para analisar a capacidade de argumentação dos estudantes.Outro destaque da edição é o reencontro do secretário estadual da Cultura, João Sayad, e do navegador Amyr Klink. Sayad foi professor de Economia de Klink nos anos 70, quando o futuro aventureiro chegou a morar num trailer no campus da USP.