UFMG aposta nos professores

Ivana Moreira, BELO HORIZONTE - O Estado de S.Paulo

Desafio é diversificar atendimento oferecido hoje à população

A boa classificação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) na avaliação do Ministério da Educação é resultado de uma estratégia que começou há muitos anos, no fim dos anos 80, avalia o pró-reitor de Graduação, Mauro Mendes Braga.

A instituição teve o conceito mais alto em 34% dos cursos avaliados no ano passado. "Não é fruto de um trabalho de uma gestão. É um trabalho de gerações de professores e servidores." A partir da segunda metade da década de 80, a universidade mineira passou a investir na contratação de professores mais qualificados. Atualmente, 95% do corpo docente tem mestrado ou doutorado e está envolvido com algum trabalho de investigação científica.

Não por acaso, a federal de Minas tem um elevado índice de produção de patentes. "Sucessivas gerações de professores vêm trabalhando com essa política de criar um link entre produção e transmissão de conhecimento", disse o pró-reitor ao comentar os resultados da instituição. Braga lembrou que não foi a primeira vez que a UFMG ficou classificada entre as melhores universidades do País. "Temos conseguido sempre ficar entre as melhores escolas."

Segundo ele, o grande desafio para a UFMG é o futuro. "Precisamos aumentar a cobertura, ampliar a quantidade e melhorar ainda mais a qualidade."

A universidade, explicou o pró-reitor, ainda precisa encontrar uma estratégia para diversificar o atendimento que oferece hoje à população.