Tuna Dwek, atriz e escritora

- O Estado de S.Paulo

"Meu carnaval inesquecível aconteceu na ficção. Mais precisamente, no Rio de Janeiro, num dos suntuosos salões do mítico Copacabana Palace, em 1924. Não sonhei, tampouco imaginei, vivi. Passei o carnaval me divertindo com meu querido marido Paulo Prado, meus amigos Yolanda Penteado, Tarsila do Amaral e Oswald de Andrade, e o poeta francês Blaise Cendrars, que achava tudo 'une merveille'. Ou seja, os atores Tato Gabus, Ana Paula Arósio, Eliane Giardini, José Rubens Chachá e Rui Resende. Gravamos um dos bailes mais luxuosos da década para a minissérie Um Só Coração, de Maria Adelaide Amaral e Alcides Nogueira, para a TV Globo, em 2004. Ainda que numa situação fictícia, a emoção do carnaval era verdadeira, especial. Ao som das marchinhas que tivemos que decorar, era um carnaval mais pudico do que os bailes de hoje, havia uma alegria genuína e excitante nos pequenos flertes, na transgressão dos olhares e de algum lança-perfume aspergido em lenços de seda pura. Lembro que esperávamos para gravar como se estivéssemos prestes a entrar num túnel do tempo. Me senti "catapultada" para o livro Carnaval no Fogo, do extraordinário Ruy Castro. Éramos paulistas em pleno Copa, delirantes e felizes, ainda sob efeito da liberdade do pós-guerra. O carnaval de 1924 é indelével: rendeu homenagens, fotografias, grandes amizades que duram até hoje. Hoje, algumas coincidências me remetem àquele carnaval. Estou gravando outra minissérie de autoria de Maria Adelaide. Queridos Amigos também percorrem outras décadas, desta vez, as de 70 e 80. Um dos diretores é o mesmo, Carlos Araújo. Tato Gabus agora se casa com Drica Moraes e estrearemos após o carnaval."