Tomo calmantes e antidepressivos e tenho medo de deixá-los e piorar

Agencia Estado - O Estado de S.Paulo

Algumas condições de saúde envolvem tratamentos que, na maioria das vezes, são prolongados, com medicamentos que nem sempre têm custo muito acessível para todas as pessoas. No entanto, as possibilidades de tratamento devem ser discutidas calmamente com o médico que indicou o medicamento, pois ele é o profissional que conhece melhor seu quadro clínico (histórico e diagnóstico) e tem uma visão geral do estado da sua saúde, sendo assim, capaz de formular o tratamento que ele considera mais adequado para a sua condição do momento. A interrupção de uso de diversos medicamentos envolve riscos extremamente consideráveis e muito variáveis, de acordo com cada medicamento. Da mesma forma que as pessoas não devem iniciar o uso de medicamentos sem a orientação médica, depois de uma consulta detalhada, o processo de se deixar uma medicação também requer supervisão em muitos casos. Essa atitude não é recomendável.Esta coluna é uma parceria do Jornal da Tarde com o Hospital Albert Einstein (Av. Albert Einstein, 627/701, Morumbi. Tel.: 3747-1233)