STJ proíbe método cruel para sacrifício

- O Estado de S.Paulo

Os centros de controle de zoonoses deverão utilizar métodos que amenizem ou inibam o sofrimento dos animais a serem sacrificados por razões de saúde pública. A decisão é da Segunda Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ). O resultado surgiu do julgamento de um recurso da prefeitura de Belo Horizonte contra decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). O município utilizava câmara de gás para sacrificar cães e gatos apreendidos na rua e diminuir a transmissão de raiva e leishmaniose. O TJMG sugere injeção letal.