SPFW exige atestado de saúde

Agencia Estado - O Estado de S.Paulo

Pela primeira vez, o SPFW faz restrições à participação das modelos nos desfiles. A morte da modelo Ana Carolina Reston, em novembro passado, vítima de anorexia, gerou uma série de medidas por parte do evento, como a exigência de atestados que comprovem boa saúde e idade mínima de 16 anos. Além disso, o evento promove uma campanha de esclarecimento sobre distúrbios alimentares, que inclui palestras com psicólogos e nutricionistas dirigidas aos modelos e seus familiares, e uma cartilha para orientar jovens modelos a ter uma vida saudável.Segundo o psicólogo Cristiano Nabuco de Abreu, do Ambulatório de Bulimia e Transtornos Alimentares do Hospital das Clínicas (Ambulim), a associação entre glamour e magreza é um dos aspectos que mais dificultam o tratamento da anorexia: ?As meninas andam com o IMC (Índice de Massa Corpórea) das modelos famosas debaixo do braço. Se dissermos que ela precisa atingir os 18,5, que é o considerado normal, elas rebatem dizendo que o IMC da Gisele Bündchen é 17.?Apesar da questão da saúde, a restrição a modelos menores de 16 anos é polêmica. Ficam de fora nomes como Camila Finn, única brasileira a vencer o Supermodel of the World, de 15 anos. ?É uma medida hipócrita. Dizem que querem protegê-las, mas várias meninas, antes de serem modelos, plantavam tomate no interior do país?, diz Eli Hadid, presidente da agência Mega.Já Isabel Oliveira, diretora da agência Ford, que detém o passe de Camila e de Bruna, é a favor da decisão. ?A Ford apóia a restrição e vai aumentar a idade mínima de admissão de seu concurso de 13 para 14 anos?, afirma. O estilista Fause Haten faz coro: ?Lugar de garota de 12 anos é em casa, brincando com as amigas.?