Sensualidade e elegância

Ciça Vallerio - O Estado de S.Paulo

Consultoras de moda comentam os modelitos que desfilam pelas ruas de São Paulo, e sugerem alguns truques fashion

  O visual da loira com vestido claro está mais para a noite, por causa da sensualidade em abundância e do brilho dos acessórios, apesar da rasteirinha. O drapeado no seio aumenta ainda mais o volume, destacando e chamando atenção para este ponto, ainda mais com o cabelão solto... Para o dia, os ombros de fora, com o tomara-que-caia, pediria um vestido mais longo, até o joelho, por exemplo, e menos dourado. Em contrapartida, a moça de vestido preto encontrou uma solução bacana para ficar menos exposta: um bolerinho de tecido leve, amarrado com displicência como um lenço.       Verão é a temporada de corpos à mostra. Aí está o perigo. Para se defender do calor da cidade, onde o asfalto potencializa as altas temperaturas, há quem acredite que quanto menos roupa, melhor. Mas quem expõe demais os atributos (ou a falta deles) pode escorregar feio: em vez de sexy, corre o risco de ficar vulgar. "A brasileira gosta de valorizar suas curvas e, como a moda está cada vez mais informal, é comum acreditar que ficar à vontade é o mesmo que liberar tudo", observa a personal stylist Cristina Gabrielli. "Não é uma questão de seguir regras, afinal, hoje nada é proibido, mas existem algumas orientações que ajudam a não cometer excessos." Há cinco anos, Cristina e sua sócia Fernanda Resende estão à frente da Oficina de Estilo, empresa especializada em consultoria de moda. Para elas, a tendência dos corpos desnudos está sinalizada na modelagem das roupas, que encurtam a cada temporada. Este é mais um dos efeitos do aquecimento global, que, como as personal stylists explicam, já influencia a moda do mundo todo. Prova disso é a diminuição do comprimento de saias, vestidos, bermudas e shorts. Outra transformação apontada pelas especialistas é a quebra dos limites de idade, que determinavam o que uma jovem ou uma mulher madura podiam usar ou não. "De dez anos para cá, quem está na faixa dos 40 e 50 têm o corpo e aparência tão bem cuidados que podem ousar mais no comprimento da roupa", lembra Cristina. Não quer dizer, porém, que está tudo liberado - nem para as mais velhas, nem para as mocinhas com tudo em cima. As consultoras avaliam a moda que desfila na rua mais badalada de São Paulo, a Oscar Freire, e dão orientações básicas para quem quer curtir o verão sem cometer gafes.