São Bento tem o melhor desempenho nacional

Fabiana Cimieri, RIO - O Estado de S.Paulo

Fundado por monges beneditinos em 1858, no Rio, é um dos poucos que só aceita meninos

O Colégio de São Bento, fundado por monges beneditinos em 1858, no centro do Rio, e última das escolas tradicionais a não aceitar meninas, obteve a melhor pontuação entre todas as escolas do Enem. Além do primeiro lugar em 2008, os alunos do colégio tiraram em média as melhores notas do País em 2005 e 2007. Depois de ter cogitado abrir as salas de aulas para as meninas, o reitor d. Tadeu Lopes voltou atrás e afirma não ter planos sobre o assunto: "Teria de haver investimento em infraestrutura muito grande e também achamos que não devemos mexer em time que está ganhando. Além do mais, os meninos gostam de ter o clubinho deles".Os alunos assinam embaixo: "É uma relação diferente, com mais liberdade e camaradagem, aqui tem um clima meio de confraria que eu não vejo em outras escolas", diz o estudante de Engenharia do Petróleo na Universidade Federal do Rio de Janeiro Elísio Fernandes de Almeida Quintino, de 18 anos. Ele foi um dos alunos que fizeram o Enem de 2008. Para a supervisora pedagógica Maria Elisa Penna Firme Pedrosa, o maior diferencial é o ensino em tempo integral. Do 1º ano do ensino fundamental ao 3º ano do ensino médio, os 1.070 alunos ficam na escola das 7h30 às 16h30. Da turma que fez o Enem, 90% foi aprovado em alguma universidade pública. A mensalidade custa R$ 1.700. Além do São Bento, o Rio tem outras duas escolas bem colocadas. Ambas tradicionais e católicas. O Santo Agostinho, de padres agostinianos, que no ano passado obteve a 2ª melhor média nacional, está agora em 9º. O Santo Inácio, administrado pelos jesuítas, está em 7º. "Esses três colégios aparecem sempre nas primeiras colocações porque, além de formação acadêmica, são escolas confessionais, têm proposta de formação de valores", analisa o diretor pedagógico do Santo Inácio, Abílio Aranha.