Saiba mais

- O Estado de S.Paulo

O que indica um caso suspeito de gripe suína? Febre acima de 37,5ºC, tosse ou dor de garganta acompanhadas ou não de dores de cabeça, musculares, nas articulações e dificuldade respiratória, por um período de até dez dias após sair de país afetado pelo vírus A(H1N1) ou ter histórico de contato com um caso suspeito nos últimos dez dias. A lista de países afetados pela doença está disponível em www.saude.gov.br O que fazer se houver suspeita de contaminação? Busque um serviço de saúde no site www.saude.gov.br. Há hospitais de referência em todos os Estados. Cubra sempre a boca e o nariz ao tossir e espirrar e lave bem as mãos. Somente os casos graves são internados Em quanto tempo, após a transmissão, os sintomas aparecem? Entre 3 e 7 dias após contato com o vírus A(H1N1). A transmissão é facilitada em locais fechados Como é feito o diagnóstico? Uma amostra de secreção respiratória é retirada do paciente e testada com kits enviados ao Brasil pela OMS Como é o tratamento? É feito com antivirais oseltamivir e zanamivir, que devem ser usados só com recomendação médica As escolas devem fechar se houver casos entre alunos? A recomendação é suspender as aulas porque as crianças transmitem a gripe facilmente Devo usar máscara cirúrgica? A população em geral não deve usar, pois não há prova de que funcione. A máscara deve ser utilizada apenas por pessoas que se encaixam como caso suspeito e que se dirigem aos serviços de saúde, além dos profissionais envolvidos no seu atendimento e na inspeção dos meios de transporte Há vacina? Ainda não. A vacina contra a gripe comum não previne a A(H1N1)