RS tem 2ª cidade em emergência após suspeita de gripe suína

Elder Ogliari - O Estado de S.Paulo

Rede escolar de Itaqui ficará fechada por dez dias para evitar a propagação do vírus

A prefeitura do município gaúcho de Itaqui decretou situação de emergência e suspendeu as atividades de toda a rede escolar por dez dias para evitar a propagação do vírus da gripe suína. A cidade, de 42 mil habitantes, na fronteira com a Argentina e a 730 km de Porto Alegre, é a segunda a adotar a medida no Estado. Cerca de 10 mil alunos ficarão sem aulas. Acompanhe as últimas notícias da pandemia Segundo o prefeito Gil Marques Filho (PDT), também cardiologista, a cidade tem quatro casos suspeitos da gripe suína. São três pessoas da mesma família (mãe e dois filhos) que estiveram em Buenos Aires e a empregada. Eles retornaram da capital argentina na segunda-feira retrasada e apresentaram quadro típico da doença. O resultado dos exames deve sair durante a semana. Marques Filho justificou o decreto como medida preventiva. Afirmou que, mesmo que tenha baixa letalidade, a doença se propaga facilmente. Também citou a situação geográfica da cidade, que tem porto na margem do Rio Uruguai, pelo qual transitam cerca de 200 pessoas por dia, a maioria caminhoneiros que chegam da Argentina e do Chile. Três funcionários da prefeitura assumiram a tarefa de acompanhar o ingresso de pessoas no País para identificar e encaminhar possíveis infectados ao médico e orientar os demais viajantes sobre medidas preventivas. O prefeito também pediu que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) envie funcionários. A agência informou que a lei prevê que atividades de controle de fronteiras podem ser exercidas supletivamente pelos Estados e municípios e que não há previsão de atendimento do pedido. O secretário da Saúde do Estado, Osmar Terra, observou que todos os casos confirmados até agora no Rio Grande do Sul ocorreram com pessoas que viajaram ao exterior ou tiveram contato com viajantes. Mesmo assim, vem repetindo que o Estado vai concentrar a maior proporção de casos de gripe suína em relação à população. O motivo é sua localização geográfica, com fronteiras com o Uruguai e Argentina e por ser rota de passagem para viajantes que vão ao Chile, somada à época do ano, quando o frio, além de baixar as defesas, força as pessoas a conviverem em ambientes fechados, facilitando a propagação de doenças como a gripe. Terra reconhece que o esquema de contenção poderá se tornar impraticável se o número de casos crescer muito nas próximas semanas e evoluir para uma epidemia. SÃO GABRIEL E 1.ºÓBITO Enquanto Itaqui é o 2º município a decretar situação de emergência no Estado, São Gabriel, o 1º, começa a afrouxar as proibições estabelecidas na semana passada. Hoje as escolas voltam a funcionar em todo o município de 62 mil habitantes, no sudoeste do Estado. Os cultos religiosos foram liberados no fim de semana. O funcionamento de boates e clubes noturnos segue suspenso. No caso de São Gabriel, o abrandamento deve-se à percepção, pela prefeitura, de que a propagação do vírus parece controlada. "Todos as ocorrências tiveram origem em um caso e, desde que foram identificados e isolados, não apareceram outros", informa o secretário da Saúde, Paulo Forgiarini. O caso mais grave é de uma adolescente de 14 anos que viajou para a Argentina e, na volta, começou a apresentar os sintomas. Ela está internada no Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM) em estado grave, sedada e respirando por aparelhos. Em Erechim, o corpo do caminhoneiro Vanderlei Vial, morto em decorrência da gripe suína, foi enterrado ontem. Ele morreu no domingo, aos 29 anos, no Hospital São Vicente de Paulo, em Passo Fundo, 13 dias após apresentar sintomas, quando viajava pela Argentina. As cerca de 50 pessoas que acompanharam o velório e o sepultamento usaram máscaras. Cerca de 30 pessoas que tiveram contato com ele estão sob observação. No Estado, mais cinco casos foram confirmados ontem: três em Porto Alegre e dois em Santa Cruz do Sul. ARGENTINA E URUGUAI No país vizinho, as Províncias (Estados) de Santa Fé, San Luis e Santiago del Estero suspenderam as aulas ontem por causa do avanço da gripe suína. Até agora, segundo o governo, o vírus A(H1N1) acometeu 1.587 pessoas, matando 28. No Uruguai, o governo confirmou a primeira morte: a de uma mulher de 60 anos que tinha problemas cardíacos, diabete e insuficiência renal. COM EFE