''Remédios de tarja preta matam gente todos os dias''

Patrícia Campos Mello - O Estado de S.Paulo

A suspeita de que Michael Jackson tenha morrido depois de receber uma injeção do analgésico Demerol reavivou as discussões sobre o abuso de medicamentos de tarja preta nos EUA. Nos últimos anos, foram duas as celebridades a morrer por causa de abuso de remédios vendidos sob prescrição médica - o ator Heath Ledger e a modelo Anna Nicole Smith. Ledger morreu de overdose de remédios para ansiedade, para dormir e analgésicos opióides. Anna Nicole morreu ao ingerir combinação de remédios para dormir e ansiolíticos.O Demerol - nome comercial de petidina, também vendido no Brasil como Dolantina - é analgésico opióide, semelhante à morfina, que pode causar dependência. "Quando Anna Nicole morreu, eu disse: não podemos deixar que isso aconteça com Michael Jackson", disse em entrevista na TV NBC Brian Oxman, ex-advogado de Jackson e amigo da família. Segundo a Agência de Combate a Drogas dos EUA, 8.500 pessoas morreram por causa de analgésicos tarja preta em 2005 - último ano com estatísticas. Quase um terço das pessoas que começaram a usar drogas no ano passado afirmaram que sua primeira droga foi remédio vendido sob prescrição médica. "Remédios de tarja preta estão matando gente todo dia, mas só ficamos sabendo quando morre alguém famoso", disse o patologista forense Cyril Wecht, prfessor da Universidade de Pittsburgh. Em 2007, Jackson fez um acordo judicial com uma farmácia que o acusava de dever US$ 100 mil em remédios.