Remédio prescrito no Brasil mata 2 na Austrália

- O Estado de S.Paulo

O governo da Austrália proibiu no mês passado a venda do Prexige (lumiracoxibe), um antiinflamatório bastante utilizado no Brasil, por ter provocado a morte de dois australianos e levado outros dois ao transplante de fígado. No Brasil, segundo o laboratório fabricante, a Novartis, duas pessoas tiveram problemas de fígado decorrentes do uso do medicamento. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu a notícia do governo australiano e solicitou mais informações à Novartis. A Anvisa informou que só tomará uma decisão depois de analisar as informações. Nos casos ocorridos no Brasil, segundo a Anvisa, os pacientes já tinham problemas hepáticos e faziam uso simultâneo de diversos tipos de remédio, o que pode ter ajudado no aumento da quantidade das enzimas hepáticas. Num dos casos, o paciente ingeria quatro vezes a dose prescrita. "A Novartis acredita no risco/benefício favorável do medicamento quando utilizado conforme a bula", informou o laboratório. O Prexige é indicado para o tratamento da artrite reumatóide e da dor aguda, entre outros problemas. No Brasil, foi lançado em 2005 e detém 5% do mercado nacional de antiinflamatórios.