Quem teve contato com doentes deve ser identificado

Jamil Chade - O Estado de S.Paulo

A OMS sugere que autoridades brasileiras identifiquem todos que fizeram contato com as vítimas da gripe suína. O objetivo seria evitar que casos importados gerem transmissões em quantidade suficiente para se declarar um surto local. O grande esforço da OMS é garantir que novos surtos pelo mundo não apareçam e, assim, evitar a declaração de uma pandemia. Por enquanto, a OMS aponta que os casos brasileiros e as eventuais transmissões identificadas entre membros de uma mesma família não são suficientes para definir que existe um surto no País. O principal porta-voz da entidade, Thomas Abraham, indica que os casos seguem as características da doença no mundo. "O padrão de transmissão no Brasil é o mesmo que estamos vendo em outros países, onde viajantes estão passando a infecção para pessoas que mantêm contatos próximos com eles." Segundo ele, a eventual transmissão de casos no Brasil é sinal de que o vírus A(H1N1) é de fácil contágio. A OMS deixou claro que as medidas nos aeroportos no Brasil podem, na melhor da hipóteses, frear o ritmo de contágio do vírus no País.