Prova da Unicamp pedia mais tempo, dizem professores

Simone Iwasso - O Estado de S.Paulo

Complexas e bem formuladas, questões de língua portuguesa e biologia exigiam respostas longas

No primeiro dia da segunda fase do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) cerca de 16 mil candidatos tiveram de resolver uma prova complexa e muito bem formulada, mas que exigiria mais do que as quatro horas disponíveis para ser resolvida, segundo professores de cursinho. "É uma das provas mais complexas que temos nos vestibulares, muito benfeita, com questões nada triviais", explica a coordenadora de língua portuguesa do Etapa, Célia Passoni. "No entanto, ela é trabalhosa demais para ser respondida em quatro horas, levando em conta que o aluno responde 12 questões de língua portuguesa e literatura e outras 12 de biologia, todas com dois subitens, totalizando 48 perguntas", diz. Segundo Constantino Carnelos, professor de biologia do Objetivo, todas as questões pediam respostas longas, nenhuma imediata. "O tempo não está adequado. Não é que seja uma prova muito difícil, mas com pouco tempo para o candidato, torna-se difícil", diz ele. "A prova vai selecionar o candidato que tiver destreza, captar as coisas rapidamente e respondê-las com poder de síntese.""Foi uma prova muito boa, exigiu o necessário, que é capacidade de leitura e de interpretação do texto lido", analisa Fernando Marcílio Lopes Couto, professor de literatura do Anglo. Para Cristiane Bastos Ferreira, professora de língua portuguesa do Cursinho da Poli, a dificuldade era esperada. "É uma prova longa, extremamente trabalhosa, mas não fugiu do padrão, é o que se espera da Unicamp", disse ela, que ressaltou o caráter atual das perguntas. "Em língua portuguesa, houve até mesmo uma questão sobre a reforma ortográfica, uma questão inteligente, que nem os professores esperavam", complementa. O acordo ortográfico, aliás, foi um dos temas presentes nas rodinhas de candidatos antes da prova. "Vou poder escrever ideia com e sem acento?", perguntavam. "E o hífen? Ainda não sei o que fazer com ele", diziam. "Caramba, isso só vai deixar a gente mais inseguro", comentavam. No meio dos alunos, alguns professores de cursinhos esclareciam a dúvida, explicando que Unicamp aceitaria as duas formas, anterior e posterior ao acordo.De acordo com a Comvest, responsável pela organização do vestibular, o índice de abstenção ontem foi de 6,29%, menor do que os 7,35% registrados no ano passado. Dos 16.885 aprovados para a segunda fase, 1.062 não compareceram. As provas realizadas ontem podem ser conferidas no site da Comvest (www.comvest.unicamp.br) e as respostas oficiais serão divulgadas na quinta-feira pela entidade. Hoje, os candidatos fazem prova de química e história. Amanhã é dia de física e geografia. Na quarta, último dia, os exames são de matemática e inglês. O candidato não pode tirar zero em nenhuma das provas. A Unicamp orienta os candidatos a chegarem aos locais de prova às 13 horas, já que os portões serão fechados às 13h45. Nos Estados onde não há horário de verão, a prova seguirá horário local. COLABOROU GILBERTO AMENDOLASAIBA MAIS Hoje: química e história Amanhã: física e geografia Quarta: matemática e inglês Horários: os candidatos devem chegar às 13 horas. Os portões serão fechados às 13h45 Não esquecer de levar: é obrigatório levar identidade original, caneta azul ou preta, lápis, borracha e régua pequena. Leandro Tessler, coordenador da Comvest, recomenda que estudantes também levem água, refrigerante ou frutas devido à previsão de calor nos próximos dias Mais informações: Candidatos aos cursos com provas de aptidão devem consultar as orientações, horários e locais na página eletrônica da Comvest (www.comvest.unicamp.br)N