Projeto prevê 12 m² de verde por morador

Cristina Amorim - O Estado de S.Paulo

Um projeto de lei que está nas mãos do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), prevê a ampliação e a manutenção de 12 metros quadrados de área verde por habitante nos municípios paulistas. A intenção é melhorar a qualidade ambiental das cidades. Essas áreas verdes ajudam a filtrar poluentes, atenuar a poluição sonora, manter o microclima da região e diminuir a amplitude térmica. Segundo o autor do projeto, o deputado estadual Jonas Donizete (PSB), as primeiras beneficiadas serão as cidades maiores, com pelo menos 200 mil habitantes, por terem um crescimento desordenado. Campinas, base eleitoral de Donizete, declara ter 8 m2 de área verde por habitante. "Ela é considerada até privilegiada (em comparação com outros municípios). Mas até questiono esse número", diz o deputado. Já o índice da capital varia entre as sub-regiões: enquanto bairros ricos, como Jardins, são bastante arborizados, os industriais na zona leste tendem a ter menos árvores.Se o texto for sancionado como saiu da Assembleia, quem quiser recuperar a área verde - organismo público ou privado - terá acesso a recursos do Fundo Estadual de Prevenção e Controle da Poluição. Os projetos serão analisados por um comitê gestor, que pode liberar financiamento de até 60% do projeto. Só um projeto por proponente será aceito. Como a intenção é ambiental, não paisagística, não serão aceitos projetos para plantio de árvores exóticas - de fora do bioma onde a cidade está inserida - ou ornamentais. Para o agrônomo Demóstenes Ferreira da Silva Filho, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), a arborização tem de ser acompanhada por uma nova cultura de tratamento das árvores, com menos podas e adequação do espaço que as recebe.