Procura de alunos da rede pública foi baixa

- O Estado de S.Paulo

Após ampliar seu programa de inclusão, a USP teve no vestibular de 2009 a menor procura em dez anos de jovens vindos de escolas públicas. Segundo a Fuvest, apenas 31,3% dos candidatos cursaram ensino médio nas redes municipal, estadual ou federal. Um índice menor - 30,8% - só tinha sido registrado em 1999. Mas a quantidade de estudantes desse grupo que passou para a segunda fase do exame atual foi a mais alta no período. Entre os 36 mil estudantes que participaram da segunda etapa, 10.992 (28,7%) eram da rede pública. O segundo maior porcentual havia sido em 2008, com 27,2%, mas foram apenas 776 alunos a menos. Esse aumento, segundo especialistas, pode ter sido motivado pelo programa de inclusão da USP, o Inclusp, criado em 2006. Em 2009, as notas desse grupo puderam ser até 12% mais altas que as do restante dos candidatos (foram dados 3% para todos os estudantes de escola pública, 6% para os que, dentre eles, fizeram o Enem e outros 3% pelo desempenho na avaliação no fim do ensino médio, feita em 2008). A coordenadora do Cursinho da Poli, Alessandra Venturi, diz, porém, que "atrativos como o ProUni (Programa Universidade para Todos) fazem com que eles nem tentem a Fuvest". Ela se refere ao programa do governo federal que dá bolsas a alunos carentes em universidades privadas que, desde sua criação em 2005, é apontado como causa da falta de interesse desse grupo em instituições públicas.