Prefeitura é condenada a abrir Caps

FABIANE LEITE - O Estado de S.Paulo

A Justiça Federal determinou que a Prefeitura de São Paulo implante, em cerca de três anos, 57 novos Centros de Atenção Psicossocial (Caps), unidades responsáveis pelo atendimento de pessoas com doenças mentais. Em 90 dias, a administração do prefeito Gilberto Kassab (DEM) terá de colocar para funcionar pelo menos 12 unidades. Além disso, o município foi condenado a criar 37 residências terapêuticas, responsáveis pelo acolhimento de pessoas doentes que não têm um local para morar. Em nota no início da noite de ontem, a prefeitura informou não ter sido notificada ainda da decisão, motivada por ação do Ministério Público Federal em São Paulo. "Cabe salientar que a atual gestão foi responsável pela maior ampliação já registrada nos serviços de saúde mental do município de São Paulo", diz a nota. "Na segunda-feira, dia 8, inclusive, será inaugurado o 55º Caps da cidade. Em 2004, existia apenas uma residência terapêutica, hoje, já são 20 em funcionamento", diz ainda o texto. No entanto, a cidade ainda tem uma classificação de cobertura de Caps no patamar regular/baixo. São necessários no mínimo 108 serviços.