Praia incrementada

Mariana Abreu Sodré e Nathalia Birkholz - O Estado de S.Paulo

Versatilidade, sofisticação e ares retrôs são alguns ingredientes que farão parte do verão 2008

Embora quase não tenham pano, biquínis e maiôs mudam - e muito - a cada ano. E a moda da vez são as peças que podem ser usadas tanto durante o dia quanto à noite, e em diversas ocasiões. Uma idéia já antiga no prêt-à-porter, manjada para as cariocas, mas um tanto quanto nova para o beachwear em geral. Amir Slama, da Rosa Chá, comemora a nova leitura. "Sempre me incomodou o fato de a moda brasileira ser muito departamentalizada: dia, noite, lingerie, praia", diz ele. "Desde o princípio, meu objetivo era criar um conceito que permeasse todo o vestir feminino, uma moda brasileira sofisticada", completa Slama, que, em seu desfile na semana de moda de Nova York, abusou de maiôs que podem passar por tops dignos de uma noitada daquelas. Os maiôs, aliás, estiveram em muitos dos desfiles da Sâo Paulo Fashion Week, e estão entre as peças que melhor desempenham esse duplo papel. Ficam ótimos quando vestidos com shorts ou calças, em looks para serem desfilados em cidades praianas, no clube, fazenda ou hotel. Mas, para chegar ao asfalto, o beachwear se sofisticou. Argolas, pedras e ponteiras, por exemplo, vêm com força, tanto em bijuterias quanto nas peças de moda praia. "Os biquínis estão mais ?acessorados? do que nunca. Detalhes nas laterais da calcinha e no meio de tops dão o acabamento", afirma Amália Spinardi, estilista e dona da marca Jo de Mer. Outra tendência da moda praia 2008 é o apelo aos anos 60, que serviu como referência para muitos estilistas. "Estampas geométricas e modelagens das décadas de 60 e 70 prometem ser o ponto forte da estação", afirma Patrícia Toth, que assina as criações da Autonomia Confecções, empresa que revende moda para marcas populares como Renner e C&A. Para se ter uma idéia da força da década de ouro, a equipe de criação da CIA Marítima se inspirou nas "peças de banho" usadas pelas moças de Saint Tropez, dos anos 60, para desenvolver a nova coleção. O resultado, obviamente, é atual e repleto de peças modernas, em tamanhos que deixariam as antigas habitués de Saint Tropez de cabelos em pé.