Pontinhas queimadas

Vera Fiori - O Estado de S.Paulo

As técnicas mais novas de coloração dos cabelos permitem efeitos próximos do clareamento natural pela luz do sol

No comecinho dos anos 70, a moda era fazer mechas largas e marcadas, mesclando tons claros e escuros - como uma pele de zebra, credo! Hoje, busca-se efeitos naturais (como se os fios fossem queimados pelo sol) e, para obtê-los, existem diferentes técnicas, que "quebram" a cor natural ou tingida dos cabelos, propiciando degradês que iluminam os fios. É uma boa opção para quem quer mudar o visual sem radicalizar. Segundo o colorista Jr. Veiga, do salão Jacques Janine Hilton, mudam os nomes - luzes, mechas, balayage, reflexos californianos - mas o que varia mesmo é a quantidade de fios e a região (da raiz às pontas, da metade da cabeça para baixo ou só as pontas) a ser clareada ou escurecida. "Para o verão, a tendência é sempre clarear os fios. Usamos a técnica New California, que dá um efeito de queimado de sol em todo o cabelo, sem marcação nem riscas." Também Mauro Freire - que criou o look sofisticado da apresentadora Ana Maria Braga, com raízes escuras e pontas bem mais claras - é adepto da naturalidade, e faz as luzes usando as próprias mãos, ao aplicar o descolorante. "Estão em alta as luzes em degradês e sem marcação na raiz, que é mantida mais escura." Vai se clareando em direção às pontas, dando a impressão de que a coloração foi feita em casa pela própria cliente. "E a idéia é essa mesma, de acabamento artesanal, customizado." Outra vantagem, considerando-se que a mulher moderna não dispõe de tempo para ir mensalmente ao cabeleireiro fazer retoques, é que a técnica dura meses. Mauro conta que usa as mãos para aplicar o descolorante nos cabelos e, assim, criar um visual único e personalizado. Dependendo do processo, o profissional pode usar uma touca com furinhos (por onde os fios são puxados com um tipo de agulha), papelotes de alumínio, pentes e até as próprias mãos. Se são escolhidas duas ou mais tonalidades, o papel é mais indicado, pois permite ao cabeleireiro visualizar onde está aplicando cada tom. Quando é usada somente uma cor, a opção é a touca. No caso da balayage, usando um pente, pincel ou as mãos, o cabeleireiro aplica o descolorante nos fios de forma aleatória. Nas luzes, o profissional separa as mechas e passa o descolorante, envolvendo-o em papel laminado. Nas mechas, a técnica é semelhante às luzes, mas o resultado são faixas mais grossas e bem definidas, em diferentes tonalidades, destacadas do fundo do cabelo. Já os reflexos podem ser feitos com papel de alumínio ou touca plástica furada. O resultado são mechas finas e claras, que se misturam com os fios escuros, clareando bem os cabelos. Uma pergunta comum: essas técnicas ressecam os cabelos? O colorista Juha Antero, do MG Hair, lembra que, quanto mais claras as luzes, maior a chance de ressecamento. "O descolorante penetra no fio, atingindo o pigmento natural." Por isso, ele recomenda bom senso. "Não se pode optar por tudo ao mesmo tempo, como tingir, alisar, fazer escova ou chapinha e, em seguida, as luzes." Lembra que a beleza dos cabelos é reflexo da saúde física e mental. "Uma dieta rica em alimentos com ômega 3, 6 e 9, o combate ao estresse e a ingestão orientada do suplemento Viviscal, à base de extratos naturais, ajudam. Também é importante ter disciplina com os tratamentos, alternando uma hidratação à base de queratina a uma de máscaras nutritivas, que podem ser aplicadas em casa." SOL ARTIFICIAL A apresentadora de TV Luciana Gimenez, a nossa capa, conta que, quando era jovem e ia à praia, seus cabelos ficavam com as pontas queimadas pelo sol. "Sempre gostei desse look de verão e consegui reproduzir esse efeito com o clareamento dos fios de baixo para cima. A cor do meu cabelo é castanho e as pontas estão praticamente loiras." Quem é responsável pelas madeixas de Luciana é a colorista Shirley Macedo, que integra a equipe do cabeleireiro Nilton Tamba, do salão MGet. O segredo, segundo os profissionais que cuidam da bela, é um degradê de cores que vai do castanho escuro, passando para um marrom frio e mel até chegar ao cobiçado douradinho das pontas. "É uma técnica de coloração artesanal, na qual usamos uma mistura de nuances de tintas, tonalizantes e descolorantes sem amônia", explica Nilton. Os cabeleireiro Luciano Cassolari, do salão L?Officiel III, e o colorista Juha Antero, do MG Hair, usaram e aprovaram a nova técnica Painting, da Wella, baseada no sistema free-hand (mão livre). Com o auxílio do pente e pincel, e baseando-se na tecnologia da coloração, o profissional analisa o formato do rosto, a textura do cabelo e cria um visual personalizado. O Painting oferece três variações: Highlights (para quem tem o cabelo escuro, mas não quer aparentar o efeito marcado de mechas), Lowlights (permite ao colorista fazer sombras em pontos específicos e deixar as pontas mais escuras) e High&Lowlights (mix de mechas claras e escuras, num jogo de sombra e luz). Cassolari aponta os diferenciais da técnica. "A massa de coloração utilizada é mais grossa e consistente, obtida a partir da adição do espessante Universal Tickener. O produto não deixa a coloração escorrer, evitando manchas, além de se fixar exatamente onde foi pincelada, facilitando os retoques." SÓ PARA AS LOIRAS Outra novidade é a técnica Deux Ors (uso dos tons sobrepostos), que só pode ser aplicada em cabelos com cor de base louro escuro, natural ou claro. O cabeleireiro Jean Marie Parquier, do Salão Franck Provost, esteve recentemente no Brasil para lançar a técnica na filial paulista do salão e falar das tendências. Segundo ele, o loiro é uma cor atemporal, mas cada vez mais os tons mel, chocolate e cookies se fortalecem. A técnica, que já fez a cabeça das atrizes Adriana Karembeu e Estella Lefebue, é uma sublimação de mechas. "A coloração é aplicada com o pente e escova, seguindo o corte e dando profundidade à raiz. Comparando com outros procedimentos de highligths, a Deux Ors tem um resultado com profundidade na raiz, resultando em mais relevo e movimento", explica. O produto age por aproximadamente 40 minutos e o cabelo fica envolto em papel filme. "Para escolher uma coloração que valorize o tipo físico deve-se levar em conta a cor dos olhos e da pele. Hoje podemos fazer muita coisa com todos os tipos de mulheres, independentemente da raça e cor. As técnicas nos permitem quase tudo." ADEUS AOS RETOQUES O reflexo californiano - look usado pela atriz Fernanda Lima e pela cantora Beyoncé - é um processo de descoloração de alguns fios e tonalização dos cabelos, sob medida para aquelas que não desejam ser "escravas" do retoque mensal na raiz. Como só as pontas estarão mais claras, o retoque poderá ser feito de três em três meses. Segundo Rodolfo Caetano, cabeleireiro do Yes Jardins, o segredo da técnica está na descoloração dos fios. "É feita em diferentes intervalos de tempo para que, um pouco abaixo da raiz até as pontas, o cabelo fique com mechas mais claras, podendo ter um destaque ainda maior nas pontas." O profissional explica que a descoloração é feita para dar um efeito degradê, com jeito de queimado de sol. Para as morenas, por exemplo, Rodolfo costuma utilizar o pó descolorante Igorá e os tonalizantes Color Touch 7.1 (loiro escuro acinzentado) e Color Touch 6.0 (loiro escuro) em mechas finas. "Se a mulher pretende ousar, deixa-se o descolorante agir por mais tempo nas pontas." Os tons mais utilizados para o reflexo variam entre o loiro champanhe, o mel e o dourado, levando-se em conta a pele, olhos e cabelo. O resultado parece ser de um processo simples, mas não é. "Se for feito de forma errada, corre-se o risco de o cabelo parecer ter faixas horizontais e não um degradê natural. É preciso saber espalhar as mechas, e até mesmo desfiar o cabelo com o pente fino, ou seja, pentear os fios das pontas em direção à raiz, durante o procedimento", alerta o profissional. O processo de descoloração depende do tipo de cabelo e do efeito esperado. O pó descolorante é passado nas mechas, sempre um pouco abaixo da raiz. A parte de trás do cabelo será priorizada na lavagem, para que não fique muito clara. Para que se atinja o resultado desejado, o tempo de ação é avaliado pelo cabeleireiro, em relação ao descolorante e ao tonalizante. E se bater um arrependimento depois, explica o cabeleireiro, é só aplicar o tonalizante do tom natural do cabelo em toda a madeixa. O corte também pode facilitar a retirada do reflexo. Para reforçar a vitalidade e leveza dos cabelos, o cabeleireiro Rodolfo Caetano indica que seja feita a hidratação Powerdose, especial para fios tingidos, a cada 15 dias, e também que seja usado tonalizante nas pontas, uma vez por mês, para manter o brilho. ONDE ACHAR Franck Provost: tel.: 3088-4832 MG Hair: tel.: 3061-1499 MGet: tel.: 3673-3064 Wella: SAC 0800-7029966 Yes Jardins : tel: 3086-3444